Congresso internacional de jornais não diários junta 80 jornalistas em São Miguel


 

Lusa / AO online   Regional   11 de Out de 2007, 16:41

Cerca de oitenta jornalistas participam no I congresso internacional de imprensa não diária, que começa sexta-feira nos Açores, para "lançar pontes de colaboração" entre publicações de língua portuguesa espalhadas pelo mundo, anunciou hoje a organização.
    O secretário-geral do encontro, que decorre na freguesia das Furnas, ilha de São Miguel, adiantou à agência Lusa que estão inscritos congressistas oriundos dos Estados Unidos da América, Canadá, Brasil, Austrália, de Portugal continental e das ilhas açorianas.

    "Pretendemos aproximar, neste primeiro congresso, todos os pequenos jornais publicados em língua portuguesa produzidos em Portugal e na diáspora", afirmou Walter Duarte, que dirige um jornal quinzenário publicado no concelho da Povoação, em São Miguel.

    Durante três dias - de 12 a 14 deste mês - vão ser debatidos sete painéis relacionados com a produção de conteúdos e jornalismo de proximidade, estratégias e mercados, jornalismo da diáspora, experiência açoriana, indústria gráfica, distribuição e interculturalidade.

    Para Walter Duarte, a imprensa não diária está a ganhar "cada vez mais" mercado e a despertar a atenção dos leitores, por se dedicar a um jornalismo de proximidade, que dá mais destaque às pequenas notícias locais.

    "A população gosta de ler nos jornais locais o que se passa na sua rua ou bairro, assim como quem está imigrado gosta de saber o que se passa na sua terra natal", salientou Walter Duarte, alegando que a imprensa não diária e os jornais com pequenas tiragens "têm futuro" se souberem apostar no jornalismo de proximidade.

    Sublinhando que as novas tecnologias são uma mais valia para a sobrevivência e divulgação dos pequenos projectos jornalísticos, Walter Duarte defendeu, porém, que há que continuar a apostar na formação dos jornalistas e na imagem e conteúdo das publicações.

    O jornal Seara Verde, publicado no concelho da Povoação, por exemplo, tem uma tiragem de 2.000 exemplares e arrancou com a sua publicação na Internet há cerca de quatro meses, uma aposta que Walter Duarte, seu director, confessou ter sido "certeira", por conferir maior visibilidade.

    O congresso, organizado pela Associação Cultural Seara Verde, com o patrocínio do Governo açoriano, Associação Portuguesa de Imprensa, Universidade dos Açores e outras empresas, vai homenagear nove jornalistas açorianos que se distinguiram, ao longo dos anos, nas suas carreiras profissionais.

    Mário Bettencourt Resendes, Lopes de Araújo, Gustavo Moura e António Valdemar são algumas das figuras que serão galardoadas, às quais se juntam, ainda, Fernando Lima, Guiomar Lima e Lomena Raposo.

    O actual director do jornal Portuguese Times, Adelino Ferreira, e o fotojornalista Rui Coutinho serão também homenageados.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.