Açoriano Oriental
Comissão de Economia dos Açores chumba audição urgente da secretária do Turismo

A Comissão de Economia do parlamento dos Açores chumbou, com os votos do PSD, do CDS e do deputado independente, a audição urgente da secretária do Turismo, proposta pelo PS, sobre a polémica promoção turística da região.

Comissão de Economia dos Açores chumba audição urgente da secretária do Turismo

Autor: Lusa/AO Online

Em causa está um apoio financeiro, no valor superior a 730 mil euros, atribuído pelo Governo Regional à Câmara do Comércio e Indústria de Angra do Heroísmo, destinado à promoção turística do destino Açores em mercados internacionais, que gerou o protesto da Associação de Turismo dos Açores (ATA), e das câmaras do comércio de Ponta Delgada e da Horta, que não foram envolvidas nessa campanha.

Os socialistas entregaram no parlamento um requerimento a solicitar, com caráter de urgência, a audição da titular da pasta do Turismo nos Açores, Berta Cabral, para esclarecer os contornos desta campanha, mas os deputados do PSD, do CDS e o deputado independente, fizeram adiar a audição para o final do verão.

“Quando um assunto é mais polémico ou não é favorável, o que a maioria de direta faz é promover a opacidade, a falta de esclarecimento público e permitir que o assunto continue a circular através de informação que é contraditória e que em nada irá favorecer a região”, acusou Carlos Silva, deputado socialista.

António Vasco Viveiros, deputado do PSD, considerou que a secretária regional deve ser ouvida na Comissão, defendendo que “há boas condições para que essa audição se faça dentro de algum tempo e não agora”.

O parlamentar defendeu que “há matérias que importa perceber como vão correr durante a época alta”. 

Também Rui Martins, deputado centrista, entende não haver “urgência nenhuma” nesta audição da secretária do Turismo, nesta altura do ano, perto da interrupção dos trabalhos parlamentares para férias de verão, para prestar esclarecimentos sobre a promoção turística dos Açores, quando essa promoção está ainda a decorrer.

Carlos Furtado, deputado independente (ex-Chega) também não vê razões para que Berta Cabral seja chamada de urgência pelo parlamento, para falar sobre esta campanha:

“Fez-se um ensaio prático. Se der certo, muito bem! Se não der certo, já no final do verão vamos perceber que não”, minimizou o parlamentar açoriano.

Nuno Barata, deputado da Iniciativa Liberal, acompanhou os proponentes do requerimento, afirmando que é necessário esclarecer, o mais rapidamente possível, que tipo de promoção turística pretende este Governo fazer. 

“Era importante ouvirmos a senhora secretária regional para que, inclusivamente, possamos passar para os operadores, uma informação mais consistente, do que o Governo Regional pretende fazer com a promoção e notoriedade do destino, nos próximos anos”, justificou o parlamentar liberal.

A audição da secretária regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas não está, ainda assim, completamente posta de parte, mas, caso venha a ocorrer, só deverá ter lugar em “setembro ou outubro”, como defende a maioria de direita no parlamento açoriano.


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados