Cinco futebolistas lusos do Stumbras desmentem Sindicato dos Jogadores


 

Lusa/Ao online   Futebol   15 de Set de 2018, 02:04

Cinco dos seis portugueses que jogam no Stumbras, do campeonato lituano de futebol, desmentiram hoje o teor do comunicado do Sindicato dos Jogadores a denunciar pressões sobre eles e salários em atraso por parte do clube.

“Em defesa da nossa honra e do bom nome do clube desmentimos totalmente o teor desse comunicado, lamentando que ninguém do Sindicato dos Jogadores ou da FIFpro (Federação Internacional das Associações de Futebolistas Profissionais) nos tenha contactado” pode ler-se na missiva enviada à agência Lusa e subscrita pelos futebolistas André Almeida, Miguel Pires, Renato Gomes, António Belo e Tiago Luís.

Em comunicado hoje divulgado, o sindicato revelou que o organismo internacional dos futebolistas profissionais, a FIFPro, aconselhou os jogadores a não assinar pelo Stumbras, ao mesmo tempo que apelou para a Federação Lituana de Futebol e para a UEFA para que "tomem medidas mais severas para evitar o tratamento inaceitável dos jogadores que participam nas suas competições".

Na mesma nota, o Sindicato dos Jogadores referiu que muitos futebolistas recebem o salário mínimo da Lituânia - cerca de 350 euros por mês – e que foram pagos com atraso pelo terceiro mês consecutivo, além de terem contratos em que são vinculados a uma compensação de três milhões de euros para rescindir unilateralmente o seu contrato, enquanto o clube pode terminar com um período de aviso de 24 horas sem pagar qualquer indemnização.

Por outro lado, ainda segundo o Sindicato, a direção do Stumbras - que disputou a fase qualificação para a Liga Europa - terá ameaçado com sanções disciplinares os jogadores que falaram ao New York Times sobre a sua situação.

Os seis futebolistas lusos que integram o plantel do Stumbras são André Almeida, Miguel Pires, Renato Gomes, António Belo, Tiago Luís e Jardel Nazaré, o único que não assinou o comunicado.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.