Cientistas criaram o primeiro mapa de resistência humana ao vírus da sida


 

Lusa/AO online   Ciência   29 de Out de 2013, 09:12

Um grupo de investigadores suíços elaborou o primeiro mapa de resistência humana ao vírus da sida, que mostra a forma como o corpo luta naturalmente contra a doença, o que poderá permitir a criação de tratamentos personalizados.

Cientistas da Escola Politécnica de Lausana e do Hospital Universitário do cantão de Vaud, na Suíça, publicaram hoje os resultados do seu estudo conjunto sobre a doença na revista científica “eLife”.

Através deste estudo, os cientistas verificaram mutações genéticas específicas e puderam reconhecer as variações registadas em algumas pessoas mais resistentes ao vírus e em outras mais vulneráveis, informação que poderá ser utilizada na criação de tratamentos individualizados.

Com a ajuda de um computador potente, os investigadores cruzaram mais de 3.000 possíveis mutações no genoma humano do vírus com mais de seis milhões de variações do genoma de 1.071 pessoas seropositivas.

Um dos investigadores, Jacques Fellay, disse, citado em comunicado, que o corpo humano desenvolve sempre estratégias de defesa contra o VIH, mas infelizmente o “genoma do vírus muda rapidamente devido a milhões de mutações por dia”, o que dificulta a tarefa de lutar contra ele.

De acordo com os autores do estudo, este trabalho permitiu uma visão mais completa dos genes humanos e da resistência imunológica ao VIH, o que poderá gerar novas terapias inspiradas nas defesas genéticas naturais do corpo humano.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.