CHEGA quer reduzir deputados no parlamento da Madeira e extinguir o cargo de representante da República


 

Lusa/Ao online   Nacional   27 de Jul de 2019, 21:28

O empresário Miguel Teixeira, eleito este sábado presidente do CHEGA na Madeira na primeira convenção regional do partido, quer reduzir o número de deputados ao parlamento regional, extinguir o cargo de representante da República e devolver à população a Quinta Vigia.

Miguel Tristão Portugal Silveira Teixeira, natural da Madeira, de 60 anos e empresário na área da floricultura, afirmou que CHEGA tenciona, caso vença as eleições ou tenha influência no espectro politico regional, "reduzir o peso da máquina estatal e burocrática" do Estado e do Governo Regional que "consomem todas as energias dos portugueses".

Nesse sentido, revelou que uma das principais intenções do novo partido é "reduzir drasticamente, no máximo até 50%, o número de deputados à Assembleia Legislativa Regional porque 20 são mais do que suficientes".

Reduzir as mordomias políticas; extinguir o cargo de Representante da República para a Região Autónoma da Madeira que, qualifica, ser "quase um palhaço que dá emprego a cerca de 15 pessoas que poderiam encontrar trabalho noutras funções"; devolver a Quinta Vigia, sede da presidência do Governo Regional, ao povo; reduzir os impostos; apoiar as pequenas e micro empresas, a criação de planos para a saúde, setor agrícola, segurança e mar, liberalizar os transportes aéreos e marítimos, o combate à corrupção, a criação de uma justiça "forte" e a transformação da ilha da Madeira "na Suiça do Atlântico" são algumas das metas políticas que o CHEGA defende para a região.

"O CHEGA não é fascista, nem de extrema-direita, é um partido de direita que está a norte do CDS, assente nos princípios judaico-cristãos, da ética, da honra, da retidão e humanidade", disse.

A primeira convenção do CHEGA, constituída por 15 delegados, elegeu hoje (por 14 votos a favor e um branco) para a Direção Regional Miguel Teixeira (presidente); Fernando Gonçalves e Martinho Gouveia (vice-presidentes) e Lino Meneses, Rita Maria, Vares, Vítor Basílio (adjuntos) e Ricardo Vieira (tesoureiro).

Para a Mesa da Assembleia Regional (eleita por 14 votos e um branco), elegeu Renato Barros (presidente) e Isabel Welsh e José Balelo.

O CHEGA concorrerá às eleições regionais de 22 de setembro e às nacionais de 06 de outubro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.