César diz que revisão do Estatuto encontrou adversários e obstáculos

César diz que revisão do Estatuto encontrou adversários e obstáculos

 

Lusa/AO   Regional   4 de Set de 2008, 06:23

O líder do PS/Açores, Carlos César, disse quarta-feira à noite na Praia da Vitória que a “conclusão do processo de revisão do Estatuto Político-Administrativo dos Açores encontrou muitos adversários e obstáculos no caminho” até agora percorrido.
“Temos obstáculos ao mais alto nível e de toda a natureza mas nesta época política nos Açores em que o partido socialista lidera o processo político a ideia autonómica e as energias a favor da autonomia estão vivas”, sublinhou.

    De acordo com Carlos César “o sucesso desta revisão será em grande parte consequência dessa vitalidade numa região dirigida por uma força política que trabalha pelo triunfo da autonomia regional”.

    “Os nossos objectivos de desenvolvimento têm de ser suportados no quadro fundamental da consolidação e aprofundamento da autonomia política e legislativa”, acentuou o líder regional socialista.

    Carlos César, que falava na cerimónia pública de apresentação dos candidatos socialistas pelo círculo eleitoral da ilha Terceira, que reuniu mais de meio milhar de pessoas no Auditório do Ramo Grande (Praia da Vitória) garantiu a continuação “de um justo e equilibrado desenvolvimento em todas as ilhas”.

    Para o dirigente dos socialistas açorianos “vai continuar a ser mantido o equilíbrio das finanças públicas para não acontecer o que tem acontecido no pais e muito provavelmente vai acontecer na Madeira”.

    “Se não continuarmos a cuidar, como temos cuidado, com competência e rigor das finanças públicas muitas das nossas políticas sociais e de apoio às empresas terão de ser abandonadas”, garantindo que “não trocamos essa estabilidade”.

    Para Carlos César “as obras não se fazem para ter votos mas integram as prioridades definidas no plano de desenvolvimento regional”.

    Depois de ter enumerado o cumprimento de 65 das 70 promessas eleitorais feitas à quatro anos, o candidato a novo mandato como presidente do governo prometeu para a ilha Terceira “o novo terminal de passageiros no porto de Angra do Heroísmo e o Parque Tecnológico”.

    Após a apresentação dos candidatos socialistas falou o cabeça de lista [actual vice-presidente do governo regional], Sérgio Ávila que apelou ao voto sustentando que “embora não tenhamos oposição credível o nosso adversário principal é a abstenção”.

    Sérgio Ávila afirmou “compreender porque é que o líder do PSD/Açores [Costa Neves] afirma que é difícil ser oposição na região”.

    “A maioria dos seus principais candidatos andou nos governos social-democratas de há vinte e de há dezasseis anos e deixaram a região à beira da falência”, disse.

    Sérgio Ávila sublinhou que “o PS cumpriu e das suas promessas [70] foram cumpridas [65] a um nível que atingiu os 93 por cento”.

    “Cumprimos compromissos e por isso temos a humildade de reconhecer que muito ainda há para fazer, sendo necessário para isso mobilizarmos as nossas forças para ganharmos de novo o que ainda não aconteceu e para tal é necessário ir votar”, acrescentou.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.