Cidades

Centro histórico de Évora sem água devido a excesso de metais


 

Lusa / AO online   Nacional   6 de Jan de 2010, 10:35

O centro histórico Évora está sem água desde as 23:00 locais de terça-feira devido ao excesso de metais, como o alumínio, detectados na rede que abastece a cidade, informou esta quarta-feira o presidente da autarquia local.
José Ernesto de Oliveira referiu à agência Lusa que técnicos da empresa de tratamento da rede que abastece o distrito de Évora se encontram no terreno a "afinar o sistema de tratamento" para repor os parâmetros de qualidade e segurança da água, a fim de que ainda hoje de manhã o abastecimento possa ser restabelecido.

"Está tudo mobilizado, a trabalhar afincadamente para ver se o problema se consegue resolver", assegurou.

O autarca adiantou que a concentração excessiva de metais, como o manganés e o alumínio, foi detectada, na terça-feira à noite, na água da rede pública de abastecimento, que é captada a partir da Albufeira de Monte Novo, que tem um "nível muito baixo".

Segundo os técnicos da empresa de tratamento Águas do Centro Alentejo, citados pelo presidente da Câmara de Évora, os metais foram arrastados para a albufeira devido às enxurradas provocadas pelo mau tempo.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.