Guiné-Conacri

CEDEAO impôs embargo total de armas e munições


 

Lusa / AO online   Internacional   19 de Out de 2009, 11:31

O Presidente da República da Guiné-Bissau, Malam Bacai Sanhá, disse domingo que a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) decidiu impor um embargo total de armas e munições à Guiné-Conacri.
“Além de um embargo total de armas e munições, a organização decidiu manter a suspensão da Guiné-Conacri na CEDEAO e criação de uma nova entidade que terá como responsabilidade organizar eleições e consequentemente definir um período de transição para realizar eleições”, afirmou Malam Bacai Sanhá.

“É o essencial do nosso encontro”, disse o chefe de Estado guineense, após regressar de Abuja, onde participou, sábado, na cimeira extraordinária da CEDEAO sobre a Guiné-Conacri.

Num comunicado, a CEDEAO afirma que “depois das atrocidades cometidas, decidiu impor um embargo de armas à Guiné” e pediu que seja instaurada uma “nova autoridade para assegurar uma transição breve e pacífica da ordem constitucional”.

Na passada quarta-feira, a CEDEAO advertiu que poderá impor sanções ao chefe da junta militar no poder desde Dezembro, Mussa Dadis Camará, se não renunciar a candidatar-se às próximas eleições no país.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.