CDS/Gondomar denuncia “inadequadas condições de operacionalidade” em escolas


 

Lusa/Ao online   Nacional   29 de Set de 2018, 10:32

O CDS-PP de Gondomar apontou esta sexta feira que o ano letivo neste concelho arrancou com "várias escolas a reunirem inadequadas condições de operacionalidade", enumerando problemas em pelo menos três estabelecimentos escolares.

Em comunicado, o CDS-PP de Gondomar, distrito do Porto, refere que nas escolas de Jovim e Foz do Sousa "as obras de reabilitação não tiveram a profundidade esperada, ficando manifestamente aquém do necessário".

Os centristas somam descrições sobre as escolas básicas do Outeiro e de Jancido, apontando que "ficaram sem intervenção, quando se torna fundamental uma intervenção imediata para recuperação dos telhados".

Também o estado do jardim de infância do Bairro do Mineiro, em S. Pedro da Cova, é alvo de nota, com o CDS-PP a apontar que "foram interrompidas em junho último as obras no recreio onde as crianças brincam, sem que tenham ainda sido recomeçadas e sem que se conheçam as razões da sua não continuidade".

"O local, na situação em que se encontra, apresenta-se bastante perigoso para as crianças brincarem, como a única casa de banho dos alunos que se encontra igualmente perigosa já que tem os azulejos a caírem. No outono e inverno chove no seu interior, concretamente no hall de entrada", descreve o comunicado.

O CDS-PP resume nestes "exemplos de inadequação ou de degradação de espaços de ensino no concelho" fica demonstrada "uma inadvertida secundarização da importância dada, pelos responsáveis municipais, à essencial valência da

formação das crianças e jovens".

"Não pretendemos criar inusitado alarido na matéria nem inculpar, pelo menos de forma acintosa, por esta realidade constatada, o responsável municipal mais direto na matéria", concluem os centristas de Gondomar.

Contactada pela agência Lusa, a Câmara de Gondomar admitiu que o arranque do ano letivo no concelho "não foi perfeito", mas recusou a imagem transmitida pelo CDS-PP.

"A delegação de competências do Ministério da Educação, que funciona em Gondomar desde 2009, tem possibilitado uma real aproximação do município aos agrupamentos escolares. Conscientes de que nem tudo é perfeito, também não podemos aceitar que, por existirem em três escolas problemas que até estão em vias de resolução, se diga que o ano letivo não arrancou com serenidade e tranquilidade. A moção ontem [quinta-feira] aprovada em Assembleia Municipal é exemplo disso mesmo", disse a vereadora da Educação, Aurora Vieira.

Quanto à moção citada pela autarca, em causa está uma congratulação apresentada pelo PS e aprovada, apesar dos votos contra de quatro elementos do movimento independente afeto a Valentim Loureiro, quatro do PSD, seis da CDU, dois do Bloco de Esquerda e um do CDS-PP, bem como duas abstenções dos independentes.

"Nem tudo está feito, nem tudo corre sempre bem, mas a bem da verdade podemos dizer que muito tem sido feito e que na maioria das vezes corre quase tudo bem", lê-se na moção.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.