Carlos César diz que se o país estivesse como a região só precisava de metade da austeridade

Carlos César diz que se o país estivesse como a região só precisava de metade da austeridade

 

LUSA / Ao online   Regional   31 de Ago de 2012, 14:22

O presidente do Governo dos Açores, Carlos César, reafirmou hoje o bom estado das finanças regionais, salientando que, se o país estivesse como está a região, apenas necessitaria de metade do programa de austeridade que está a implementar.

"Se as finanças do país estivessem como as dos Açores não teria sido necessário metade do programa de austeridade que o país está a implementar", afirmou Carlos César, numa intervenção na Maia, concelho da Ribeira Grande, em S. Miguel.

Carlos César frisou que, "face à dívida pública, cada açoriano deve seis vezes menos do que um cidadão do continente".

No discurso que proferiu no lançamento da primeira pedra da futura creche da Casa do Povo da Maia, destacou a rede social que foi construída desde que assumiu a presidência do Governo há 16 anos, considerando que foi possível “recuperar do estado de abandono social em que se encontrava a região em 1996”.

"Temos razões nos Açores para estar satisfeitos com a rede de apoio social. Não há nada parecido no nosso país", afirmou Carlos César, acrescentando que este investimento apenas foi possível devido à "boa gestão das finanças públicas regionais".

No arquipélago existem atualmente 374 equipamentos de apoio à infância e juventude, entre os quais 60 creches, revelou.

A futura creche da Casa do Povo da Maia, orçada em cerca de 526 mil euros, terá capacidade para acolher 36 crianças dos quatro meses aos três anos de idade.

Esta infraestrutura é a primeira de um complexo social que vai ser construído na freguesia da Maia, num investimento global de dois milhões de euros que incluirá equipamentos de apoio a idosos, jovens e crianças.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.