Jogos Olímpicos Londres2012

Capital britânica com lucros de 16.300 milhões de euros

Capital britânica com lucros de 16.300 milhões de euros

 

Redação AO/LUSA   Outras modalidades   13 de Ago de 2012, 17:39

O presidente da câmara de Londres fez hoje um balanço "extraordinário" dos Jogos Olímpicos, que terminaram domingo, e admitiu que a cidade poderá ter tido lucros na ordem dos 13.000 milhões de libras (cerca de 16.300 milhões de euros).

Boris Johnson referiu que a cidade recebeu 300.000 visitantes estrangeiros e 600.000 britânicos, tendo registado uma ocupação hoteleira da ordem dos 84 por cento.

De acordo com número do governo britânico, 98 por cento dos 6.000 milhões de libras (7.560 milhões de euros) gastos na construção e remodelação do parque olímpico foram contratualizados com empresas britânicas.

A chegada massiva de visitantes à cidade aumentou em 20 por centro os lucros do setor da restauração nas últimas duas semanas, enquanto a área de bares e discotecas teve um aumento de volume de negócios da ordem dos 24 por cento.

Boris Johnson falava numa conferência de imprensa conjunta com o presidente do comité organizador dos Jogos, Sebastian Coe, e com o ministro britânico da Cultura e Desporto, Jeremy Hunt.

O presidente da Câmara de Londres agradeceu “a paciência e amabilidade” de todos os londrinos”, bem como a dedicação de todos os que trabalharam no dispositivo de segurança, que foi uma das principais preocupações dos organizadores dos Jogos Olímpicos.

Boris Johnson destacou também o trabalho da empresa que gere o sistema de transportes públicos de Londres, considerando que “a rede de transportes desafiou os mais céticos”, que temiam eventuais colapsos.

Sebastian Coe referiu que após 17 dias de Jogos Olímpicos a cidade vai acalmar e preparar-se para receber os Jogos Paralímpicos, que se disputam de 29 de agosto a 09 de setembro.

“Os Paralímpicos foram criados no Reino Unido em 1948. Agora queremos mudar alguns conceitos errados que se têm sobre eles. Toda a gente vai ver uma competição espetacular”, afirmou Sebastian Coe.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.