Campanha de prevenção rodoviária nos Açores aposta em figuras públicas

Campanha de prevenção rodoviária nos Açores aposta em figuras públicas

 

Lusa/AO Online   Regional   9 de Ago de 2019, 09:46

O futebolista Pauleta, o humorista Helfimed, o rapper Balada Brassado e o piloto de rali Luís Miguel Rego são as figuras públicas escolhidas para dar cara pela nova campanha de prevenção rodoviária dos Açores.

“A prevenção rodoviária é uma preocupação permanente, constante, mais ainda nas nossas ilhas, que têm vindo a crescer em termos de circulação automóvel com a presença, não só de mais residentes com veículo próprio, mas também mais transportes de mercadorias e mais turistas a circular”, sublinhou a secretária regional dos Transportes e Obras Públicas, Ana Cunha.

A campanha apresentada na sede da Secretaria Regional dos Transportes e Obras Públicas, em Ponta Delgada, conta com quatro anúncios televisivos, que serão transmitidos na RTP Açores.

“Este ano inovamos um pouco na forma de transmitir a mensagem de prevenção. Tivemos a colaboração preciosa de cidadãos, que são também personalidades conhecidas nos Açores, para transmitir essas mensagens”, tendo como principal objetivo proteger “a vida humana”, afirmou a governante.

Nos anúncios, o 'rapper' açoriano Balada Brassado apela a que sejam cumpridas as regras de estacionamento, Pedro Pauleta chama à atenção para a necessidade de sinalizar as manobras, o humorista Helfimed ensina a respeitar a ordem da sinalização e o piloto de rali Luís Miguel Rego lembra que tanto os condutores como os peões não devem utilizar aparelhos como telemóveis ou auriculares, já que estes diminuem a atenção à estrada.

Esta é mais uma campanha que resulta de uma parceria, que acontece desde 2014, entre a associação Prevenção Rodoviária Açoreana (PRA), o Governo Regional dos Açores e a seguradora Açoreana.

O presidente da PRA, Walter Adrahi, aponta para o surgimento de novos perigos nas estradas açorianas, para os quais os condutores “não estão totalmente alerta”, como, “por exemplo, a presença do número de viaturas de rent-a-car adicional”, que levou à diminuição da velocidade média, o que resulta num aumento das ultrapassagens.

“Cada ultrapassagem nas nossas estradas, especialmente onde há curvas, é um risco. Há um aumento de probabilidade de haver um acidente”, prosseguiu, ressalvando, no entanto, que não há um aumento na sinistralidade na região.

Walter Adrahi afirmou, ainda, que a diminuição da velocidade tem como consequência a redução do número de vítimas mortais em acidentes rodoviários.

Em 2019, até junho, foram registados 1.679 acidentes em toda a região, mais 166 que no período homólogo, no entanto, o número de vítimas mortais do primeiro semestre de 2019 é inferior ao de 2018, registando-se duas mortes nas estradas açorianas este ano e 13 no primeiro semestre do ano passado.

Também os feridos graves são menos, com 50 até junho de 2019 e 71 no período homólogo.

Apenas no número de feridos ligeiros houve um pequeno agravamento, tendo-se registado 315 em 2019 e 313 até junho de 2018.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.