Autarquias

Câmaras não têm culpa do problema das finanças públicas


 

Lusa/AO online   Nacional   30 de Set de 2011, 15:03

A Junta Metropolitana do Porto (JMP) defendeu que o problema das finanças públicas nacionais não está no endividamento das autarquias, mas no da administração central.
“Há um desagrado pela forma como as coisas têm vindo a público, dando a ideia que as autarquias é que têm culpa”, disse o presidente do organismo, Rui Rio, no final de uma reunião da JMP, onde foram analisadas as reformas no âmbito das autarquias locais.

Segundo o autarca do Porto, o problema do endividamento das autarquias representa apenas “quatro por cento do PIB e o outro representa cerca de 120 por cento” e, portanto, “não é justo, não é correcto”, assumir que o problema do país sejam as autarquias.

“Não é bom para Portugal que se tente levar para a opinião pública uma ideia errada que o problema está nas autarquias, porque há algumas que estão mal, há erros que se têm que corrigir, há endividamento que é preciso baixar, só que é uma dimensão muito pequena face à dimensão do todo nacional, cujo problema está na administração central”, frisou.

A JMP defende, contudo, que “o Governo deve actuar no endividamento das autarquias”, limitando mais o seu défice e está desde já “disponível para colaborar em tudo o que possa melhorar o rigor das autarquias”.

A reforma da administração local proposta pelo Governo mereceu várias críticas por parte da JMP, que entende que “as reformas devem ser feitas na sua plenitude”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.