Bruno Magalhães fica a 0,6 segundos da vitória no Rali do Chipre e é líder do Europeu

Bruno Magalhães fica a 0,6 segundos da vitória no Rali do Chipre e é líder do Europeu

 

Lusa/Ao online   Internacional   17 de Jun de 2018, 21:03

O português Bruno Magalhães (Skoda Fabia R5), vice-campeão europeu de ralis, subiu este domingo à liderança do campeonato, ao terminar no segundo lugar o Rali do Chipre, a seis décimos de segundo do cipriota Simos Galatariotis (Skoda Fabia R5).

Magalhães partiu para o terceiro e último dia da quarta prova do campeonato continental da terceira posição, a 8,8 segundos do finlandês Juuso Nordren (Skoda Fabia R5), que liderava e sofreu hoje um acidente, e a 4,2 segundos de Galatariotis.

Nesta jornada, o qatari Nasser Al-Attyah (Ford Fiesta R5), vencedor do Dakar em 2011 e 2015, venceu quatro das seis especiais e chegou a liderar a prova, mas perdeu mais de três minutos devido a um furo no 13.º e último troço cronometrado e acabou no quarto posto, a 2.27,0 do vencedor.

O piloto português acabou por ser mais regular no último dia e ficou próximo do triunfo na última classificativa, na qual se aproximou uns insuficientes 8,5 segundos de Galatariotis, enquanto o húngaro Norbert Herczig (Skoda Fabia R5) também beneficiou da ‘queda’ de Al-Attyah para assegurar o terceiro lugar, a 1.21,4 minutos.

"Foi um segundo lugar com sabor a vitória. Uma prova muito exigente e traiçoeira que exigiu bastante de nós e do carro. Felizmente, conseguimos ultrapassar todos os obstáculos que fomos encontrando e foi por muito pouco que não conseguimos a vitória. Mas tivemos de optar entre correr riscos ou garantir a liderança no campeonato. Acho que fizemos a escolha mais acertada", afirmou o português, citado pela sua assessoria de imprensa.

Com o segundo lugar no Chipre, Bruno Magalhães, vencedor do Rali da Acrópole, na Grécia, beneficiou da desistência do anterior líder, o russo Alexey Lukyanuk (Ford Fiesta R5), para chegar ao primeiro lugar. O português soma 98 pontos, mais 15 do que o vencedor das provas nos Açores e nas Canárias.

O Europeu de ralis prossegue em julho, com a disputa do Rali de Roma, entre 20 e 22, com a sexta das nove provas do ano.

"Esperamos conseguir apoios para nos mantermos na luta pelo título que nos escapou o ano passado. Mas por agora é tempo de agradecer aos atuais patrocinadores e à equipa que faz, rali após rali, um trabalho notável. Este resultado, depois da vitória na Grécia é para eles que acreditam e apoiam-nos incondicionalmente. Estes dois últimos resultados são uma motivação enorme para continuarmos em frente", rematou Magalhães.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.