Bruno de Carvalho quer impugnar Assembleia Geral e ir a eleições

Bruno de Carvalho quer impugnar Assembleia Geral e ir a eleições

 

LUSA/AO online   Futebol   24 de Jun de 2018, 20:32

Bruno de Carvalho, que no sábado foi destituído de presidente do Sporting pelos sócios em Assembleia-Geral (AG), disse hoje que vai impugnar a reunião e pretende ir a eleições, previstas para 08 de setembro

“Agora acabou. Querem guerra. Eu compro. Vou impugnar a AG e o presidente da SAD ainda sou eu. Vou a eleições. Vamos ver quem vence. Se são a maioria dos sócios ou os ‘podres’ e os viscondes”, afirmou Bruno de Carvalho, numa publicação na rede social Facebook.

A Comissão de Gestão do Clube, liderada por Artur Torres Pereira, anunciou hoje que o antigo presidente do Sporting José Sousa Cintra tinha sido nomeado para a presidência da SAD do emblema lisboeta, em substituição de Bruno de Carvalho, na sequência da votação para a destituição do Conselho Diretivo.

“Eu vou impugnar, como sócio, esta AG, e vou a eleições. E se estes tipos da putativa comissão disciplinar me quiserem expulsar de sócio, dia 30 encontramo-nos na AG, pois tenho direitos de que não vou abdicar”, atirou.

Após o término da AG, Bruno de Carvalho tinha dito aos sócios que não se candidatava “de certeza”, depois de a destituição do Conselho Diretivo por si liderado ter sido aprovada no sábado com 71,36% de votos favoráveis, contra 28,64% de votos no sentido da sua continuidade.

“Podia impugnar esta AG por todas as ilegalidades cometidas: sim. Mas não o vou fazer. Era só o adiar o ter de devolver o clube a quem nele mesmo manda”, escreveu Bruno de Carvalho, num outro texto publicado hoje de madrugada na rede social Facebook.

No texto publicado na noite de hoje, o dirigente atira-se a Artur Torres Pereira e a Sousa Cintra, além de explicar que não pretende “desistir” do clube e que acredita num “Sporting renovado e sem viscondes” e que vai lutar pelos "milhares que não querem mais os viscondes ou aqueles que querem assaltar o Sporting".

“Por muito que me queira afastar, não consigo. Bem sei o que disse amargurado, traído, ferido, que não queria ser mais adepto nem sócio, mas não consigo. Amo-te Sporting, e quero continuar a acreditar num Sporting sem viscondes ou com eles remetidos ao seu lugar: calados”, escreveu.

Antes, Artur Torres Pereira tinha explicado que a Comissão de Gestão e a solução encontrada para a SAD deverão manter-se até novas eleições para os órgãos sociais do clube, que estão apontadas para 08 de setembro, conforme anunciou no sábado o presidente da Mesa da Assembleia Geral (MAG), Jaime Marta Soares.

Segundo anunciaram, nenhum dos membros da Comissão de Gestão ou Sousa Cintra pretendem candidatar-se ou integrar qualquer lista nas eleições de setembro, sendo que não serão remunerados nas funções que exercerem até lá.

Torres Pereira salientou que será levada a cabo uma “auditoria forense às contas recentes do clube e da SAD para que os verdadeiros donos do Sporting tenham conhecimento com rigor absoluto o que se passa”.

O presidente da Comissão de Gestão indicou ainda que os membros deste órgão trabalharão a partir de amanhã nas instalações do Sporting, tendo convocado para terça-feira uma reunião com os funcionários e colaboradores do clube.

O responsável do clube disse ainda ter a esperança de que, depois da "votação clarificadora" de sábado, "todos aceitem democraticamente o resultado inequívoco da expressão da vontade dos sócios".



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.