Bombeiro não teve coragem para ver nascer a filha mas já foi parteiro de uma dezena de bebés

Bombeiro não teve coragem para ver nascer a filha mas já foi parteiro de uma dezena de bebés

 

Lusa/AO online   Nacional   7 de Ago de 2012, 12:03

Um bombeiro dos Voluntários de Barcelos que, há 15 anos, não teve coragem de assistir ao nascimento da filha já foi "parteiro" de mais de uma dezena de bebés, uma missão que na segunda-feira voltou a desempenhar, numa ambulância.

“Por acaso, quando a minha filha nasceu, há 15 anos, estava no monte a apagar um incêndio. Mas a verdade é que acho que não me atreveria a assistir ao parto, não me sentia à vontade, faltava-me coragem, não sei”, confessou à Lusa José Ribeiro.

Na segunda-feira, José Ribeiro e os colegas Joaquim Martins e Ezequiel Moreira assistiram ao nascimento, na ambulância dos Voluntários de Barcelos, da Leonor, uma menina “com pressa de ver a luz do dia”.

Os bombeiros só tiveram tempo de transportar a jovem mãe, de 27 anos e grávida de 37 semanas, desde o prédio em que vive até à ambulância, ocorrendo o parto mesmo à porta de casa, num trabalho desenvolvido pelos bombeiros e pelos técnicos da viatura média de emergência e reanimação (VMER) de Barcelos.

“Apesar de esta ser uma situação que já não vivia há uns 15 anos, para mim acabou por ser normal, porque já levo mais de uma dezena de partos na minha carreira. E esses foram no tempo em que éramos nós que fazíamos tudo, não havia VMER nem nada”, referiu José Ribeiro, alinhador de direções de profissão.

Já para Ezequiel Moreira, este foi “apenas” o terceiro parto em ambulâncias, com a particularidade de ter acontecido a poucos meses de voltar a ser pai.

“Tenho um menino de 19 meses, assisti ao seu nascimento, e para dezembro devo ser pai outra vez e quero muito voltar a assistir. É sempre uma alegria muito grande quando uma criança vem ao mundo, é uma sensação inexplicável ver um bebé nascer”, atirou.

Segundo Ezequiel Moreira, o parto de segunda-feira “correu muito bem”, tendo posteriormente mãe e filha sido transportados para o Hospital de Braga.

A bebé nasceu com 3 quilos, mede 47 centímetros e é o terceiro filho do casal.

A maternidade do Hospital de Barcelos fechou em junho de 2006, passando os partos a ser realizados em Braga.

Desde então, os Bombeiros Voluntários da cidade já registaram “três ou quatro” nascimentos em ambulâncias.

“Antigamente, aconteciam muitos mais, porque havia pouca informação e as mulheres acabavam por deixar tudo para a última”, explicou José Ribeiro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.