Bloco de Esquerda reúne jornadas parlamentares com chumbo do pacote fiscal na agenda


 

Lusa/AO On Line   Nacional   7 de Jun de 2010, 06:52

O primeiro dia “oficial” das jornadas parlamentares do BE começa hoje em Viana do Castelo, com os apoios sociais na agenda e a promessa de apresentar brevemente no Parlamento uma proposta para reforçar o subsídio de desemprego
. Depois de no domingo ter apresentado propostas como a criação de um Observatório da Pobreza e da Exclusão Social ou o alargamento do complemento solidário para idosos para os 14 meses, que já foram entregues na Assembleia da República e estão para ser agendadas, o líder do BE, Francisco Louçã, sublinhou que a “batalha” do seu partido estará nas “alternativas” ao Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC) e prometeu mais medidas.

“Nas próximas semanas, a batalha do BE trará ao Parlamento a medida sobre o subsídio de desemprego, reafirmará que é preciso apoio a quem está desempregado, apresentará alternativas contra o aumento dos impostos”, referiu.

“Quando for trazido ao debate do Parlamento, à apreciação parlamentar, a iniciativa do Governo [de medidas adicionais do PEC] que atacou o subsídio de desemprego, aí terá a resposta do BE. Em cada uma dessas batalhas o BE quer construir uma alternativa de confiança, de solidez, de propostas, de medidas concretas que demonstrem que a austeridade pode ser vencida”, disse Louçã, num comício no domingo, em Frossos, Braga.

Num discurso onde Governo e o PSD foram os alvos, o coordenador bloquista lembrou que na próxima quarta feira será debatida e votada na Assembleia da República a proposta contra o aumento do escalão reduzido de IVA e que propõe, em contrapartida, a subida em um ponto percentual da taxa de derrama do IRC.

Hoje o BE começa o dia com uma visita de Francisco Louçã e José Manuel Pureza aos correios de Tangil, no concelho de Monção.

À tarde, o líder parlamentar, José Manuel Pureza, “abre” oficialmente as jornadas do BE, na Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, seguindo-se uma mesa redonda sobre “respostas sociais à crise”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.