Bispo de Aveiro critica “campanha orquestrada” contra o papa no caso dos abusos sexuais

Bispo de Aveiro critica “campanha orquestrada” contra o papa no caso dos abusos sexuais

 

Lusa/Ao online   Nacional   1 de Set de 2018, 03:00

O bispo de Aveiro, António Moiteiro, lamentou esta sexta feira a "campanha que tem sido orquestrada contra o papa Francisco", a propósito dos casos de abusos sexuais cometidos por membros da Igreja Católica, segundo uma nota divulgada pela agência Ecclesia.

Segundo um comunicado enviado por António Moiteiro à Ecclesia, o bispo de Aveiro e atual presidente da Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé, lembra "o esforço que o papa Francisco tem vindo a fazer para tornar a Igreja mais evangélica, em diálogo com o mundo atual e na resposta a problemas novos", pelo que, acrescenta, merece todo o apoio "como povo de Deus em terras de Aveiro".

A questão dos abusos sexuais foi um dos temas marcantes da recente visita do papa à Irlanda, onde Francisco expressou uma mensagem de vergonha e tristeza por este caso que está a abalar a Igreja.

Na sequência dessa visita, o arcebispo Carlo Maria Viganò, ex-núncio apostólico nos Estados Unidos, publicou uma carta onde acusando Francisco de também não ter sido célere na denúncia e resolução dos casos de pedofilia, como o do cardeal norte-americano Theodore McCarrick, que tinha sido acusado publicamente em julho de abuso sexual reiterado de menores, durante vários anos.

No texto divulgado hoje, o bispo de Aveiro defendeu ainda assim que as estruturas da Igreja estão "sempre necessitadas de conversão e renovação" e sublinhou a importância de a Igreja "tudo fazer para que estes crimes sejam abolidos", denunciando os culpados e defendendo as vítimas.

Numa missiva que, de acordo com a Ecclesia vai ser partilhada com todas as comunidades católicas da Diocese de Aveiro, António Moiteiro reitera o seu apoio ao papa e desafia os fiéis a manifestarem o seu "assentimento filial aos ensinamentos do magistério de Francisco" e a sua colaboração e empenho na mudança de que a Igreja procura.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.