Berlusconi considera "grotesca e ridícula" alegada investigação devido a pressões sobre televisão


 

Lusa / AO online   Internacional   13 de Mar de 2010, 12:14

O primeiro ministro italiano, Silvio Berlusconi, classificou hoje como "grotesca e ridícula" uma alegada investigação aberta contra si por possíveis pressões para acabar com um programa na televisão pública RAI muito crítico para o Governo.

"Eu ocupo-me de coisas sérias, não de coisas ridículas e, inclusive, grotescas", afirmou hoje Berlusconi, em declarações ao canal de televisão Rete Quattro, propriedade do seu grupo audiovisual, Mediaset.

O primeiro ministro comentava assim uma notícia avançada na sexta feira pelo diário "Il Fatto Quotidiano", que divulgou uma investigação por parte da Procuradoria de Trani, não confirmada ainda pelas autoridades judiciais, onde também estariam envolvidos o diretor de informação da RAI e o responsável pala Autoridade das comunicações.

A abertura da investigação surge, acrescenta o jornal, com base em escutas telefónicas realizadas por outra investigação, na qual Berlusconi falava de "Annozero", um programa de debate emitido pela RAI2 onde se produzem comentários muito críticos sobre o chefe do Executivo.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.