Liga Sagres

Benfica goleia Olhanense e está a um ponto do título

Benfica goleia Olhanense e está a um ponto do título

 

Lusa/AO online   Futebol   24 de Abr de 2010, 22:26

O Benfica está a um ponto de se sagrar virtual campeão nacional, depois de hoje ter goleado o Olhanense, por 5-0, em encontro antecipado da 28.ª jornada da Liga Sagres
Cardozo, com três golos, Di Maria e Aimar deram hoje um triunfo folgado ao Benfica frente ao Olhanense, por 5-0, na 28ª jornada da Liga de futebol, deixando os “encarnados” a um ponto do título de campeão.

Empolgados pelos 62 147 espectadores que encheram o Estádio da Luz, o Benfica, cujo triunfo pode valer o título antecipadamente caso o Sporting de Braga deslize domingo no terreno da Naval 1º de Maio, goleou, com facilidade, os algarvios.

Os donos da casa começaram praticamente a ganhar, com o primeiro golo de Cardozo, aos dois minutos, de grande penalidade, a sétima convertida pelo paraguaio na Liga Sagres, que castigou um corte com o braço de Delson, após uma arrancada na esquerda ofensiva do Benfica de Weldon.

A “obrigação” da formação comandada por Jorge Jesus ficou facilitada a partir dos 9 minutos, após Delson, amarelado no lance da grande penalidade, ter sido expulso, por acumulação, após uma entrada ríspida sobre Di Maria.

O extremo argentino respondeu a um passe cruzado de Aimar, com uma diagonal da esquerda, aos 18 minutos, e, depois de ludibriar a defensiva olhanense, bateu o guarda-redes Bruno Veríssimo.

Em inferioridade numérica, o Olhanense só aos 20 minutos visou a baliza “encarnada”, altura em que Ukra obrigou Quim a uma defesa a punhos, na marcação de um livre directo, enquanto o Benfica, sempre que acelerava, criava e desperdiçava ocasiões de golo.

Na segunda parte, já com uma vantagem confortável (2-0), o Benfica, em três minutos, duplicou a vantagem, pelo inevitável Cardozo, assistido por Di Maria. Aos 53, o paraguaio respondeu a um “passe de letra” do argentino, depois, aos 56, numa jogada mais simples, desviando apenas a bola de Bruno Veríssimo.

Com a goleada consumada, o sentido único da partida, que serviu de vingança ao empate na primeira volta (2-2), manteve-se e a vantagem foi ampliada por Aimar, aos 79 minutos, mas até podia ter sido mais “gorda”, não fossem as defesas de Bruno Veríssimo e algum desacerto do ataque “encarnado”.

O Olhanense, que ainda luta pela manutenção, jogou os últimos minutos da partida apenas com nove jogadores, após lesão grave do defesa direito Lionn.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.