Benfica e Sporting empatam na Luz primeiro dérbi da época

Benfica e Sporting empatam na Luz primeiro dérbi da época

 

Lusa/Ao online   Futebol   25 de Ago de 2018, 20:49

 Um golo de Nani, de penálti, e outro de João Félix permitiram que Sporting e Benfica empatassem 1-1 o primeiro dérbi da época, em jogo da terceira jornada da I Liga de futebol, disputado no estádio da Luz.

O guarda-redes francês teve uma mão cheia de intervenções a evitar o golo das 'águias', mas nada pôde fazer perante o cabeceamento certeiro do jovem avançado, de 18 anos, que foi lançado aos 71 minutos e empatou a partida aos 86, anulando o terceiro tento de Nani no campeonato, aos 64, de grande penalidade.

Naquele que foi o sétimo clássico seguido em que Rui Vitória não conseguiu vencer os mais diretos rivais e a meio de uma eliminatória europeia de importância capital, voltou a valer ao Benfica a qualidade individual de dois dos seus jogadores (Rafa no cruzamento e Félix na finalização), perante um Sporting ainda claramente abaixo do que se pretende para um candidato ao título.

Se a ausência de Jonas no Benfica já era mais do que conhecida, a dúvida sobre Salvio permaneceu até à última hora, quando se soube que o argentino estava mesmo fora do dérbi e seria Rafa a alinhar no lado direito do ataque, no lugar que Zivkovic ocupou frente ao PAOK.

Do lado dos 'leões', Bas Dost também era baixa confirmada, por lesão, ao qual se juntou Mathieu. Com André Pinto a ocupar o centro da defesa e Montero o eixo ofensivo, José Peseiro reservou uma terceira alteração: o extremo Raphinha ocupou a faixa direita ofensiva.

Os 'leões' surgiram muito mais agressivos a condicionar o adversário, deixando pouca margem para que Gedson e, sobretudo, Pizzi pudessem 'pensar' o jogo benfiquista. De resto, o internacional português voltou a mostrar que, em jogos de maior dimensão, pouco acrescenta quando tem a bola, já que demora em demasia a executar, além de comprometer o 'miolo', dada a pouca agressividade que denota quando é preciso recuperar a bola ou a posição.

Na primeira parte, as 'águias' praticamente só incomodaram Salin em duas bolas paradas direcionadas para a cabeça de Rúben Dias, que obrigou o guardião a aplicar-se, enquanto as tentativas dos 'leões', por Montero e Acuña, não tiveram a direção certa.

Quem esperava um dérbi repleto de qualidade individual e coletiva, terá ficado desiludido, tantas foram as perdas de bola consecutivas de parte a parte, aliadas ao pouco esclarecimento e muitas faltas cometidas (31 no total).

Ainda assim, o Benfica terá de se queixar de si próprio por não conseguir finalizar e aproveitar as facilidades que lhe foram concedidas, como aconteceu num remate de Cervi, que obrigou Salin a nova intervenção.

Se o Sporting ainda está à procura de apreender as ideias de José Peseiro, o mesmo não se poderá dizer do Benfica, que vai para a quarta temporada consecutiva com o mesmo treinador e, mesmo assim, continua sem mostrar ',trabalho', valendo-lhe a qualidade individual dos seus intervenientes e o improviso que estes conferem ao jogo.

De tal forma assim foi que, depois de Cervi e Pizzi arriscarem a 'sorte' de longe, acabou por ser o Sporting a beneficiar da total falta de articulação da linha defensiva 'encarnada', que permitiu a Montero tirar partido do espaço entre Rúben Dias e Jardel e conquistar uma grande penalidade ao jovem central, a qual foi convertida por Nani.

Rui Vitória esperou pouco para lançar João Félix e Seferovic, para os lugares de Pizzi e Ferreyra, o que não agradou à maioria dos adeptos presentes na Luz, que continuavam a desesperar com as contínuas respostas de Salin na baliza 'verde e branca', desta feita a opor-se às tentativas de Zivkovic e Rafa.

Com os três pontos no 'bolso', José Peseiro substituiu o exausto Bruno Fernandes por Petrovic, na tentativa de 'bloquear' as incursões finais das 'águias', só que, a quatro minutos dos 90, Rafa 'desbravou' caminho na direita e cruzou para um dos jogadores mais baixos em campo, João Félix, que, qual ponta de lança, cabeceou para o empate.

O derradeiro 'assalto' do Benfica em busca do triunfo acabou por ser travado pelas muitas paragens e picardias, que levaram o jogo até aos 100 minutos, não sem que, antes, Salin voltasse a 'brilhar', afastando um livre de Grimaldo.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.