BE quer alargamento do acesso ao subsídio de desemprego

BE quer alargamento do acesso ao  subsídio de desemprego

 

Lusa/AO Online   Economia   13 de Fev de 2010, 07:13

O líder do Bloco de Esquerda (BE), Francisco Louçã, esteve hoje no Porto numa ação de recolha de assinaturas para a petição pelo alargamento do acesso ao subsídio de desemprego, reforçando que o partido quer "insistir nas soluções decisivas".

"O Porto é um dos distritos mais afetados pelo desemprego e o Bloco de Esquerda quer concentrar-se sobre as questões mais importantes", explicou Francisco que Louçã que esteve na Rua de Santa Catarina, na cidade portuense, a recolher assinaturas para uma petição, que segundo o líder bloquista já tem "muitos milhares" de subscritores.

O líder do BE garantiu que o partido propôs e voltará a propor "agora na especialidade no orçamento que, no corte ao despesismo, se faça um esforço por responder às pessoas que tem mais dificuldades".

A petição do bloco defende o acesso ao subsídio de desemprego a pessoas com seis meses de desconto no último ano, pedindo "mais apoio e regras justas".

"Já há muitos milhares de assinaturas e queremos representar uma parte da opinião pública de pessoas desempregadas mas sobretudo, até de pessoas que não estando desempregadas, sentem que os seus filhos se qualificaram, têm um curso e vão ter trabalho precário, ou jovens que têm que emigrar porque não têm emprego ou pessoas que tem 55 anos e perderam o trabalho", explicou Louçã.

O líder do bloco avançou que pretende "que a verdade de vida das pessoas fale na Assembleia da Republica e que haja esse testemunho direto para que o Governo perceba que são necessárias respostas.

"As respostas são um controlo público destas contas e mais atenção, mais rigor e mais exigência", sustentou.

Ciente de que "há um apodrecimento da situação política e social em Portugal, com múltiplos episódios e confusões judiciárias", o líder do BE crê que "é a altura de olharmos para o essencial que é a vida das pessoas".

"Há nas próximas três semanas uma discussão intensa sobre os detalhes do orçamento na especialidade, e nesse contexto nós apresentaremos as nossas propostas, entre as quais, das mais importante será o pacote de redução de despesas absurdas do Estado", disse Louçã.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.