BCP puxa bolsa para subida acelerada


 

Lusa/ AO online   Economia   2 de Out de 2007, 17:44

A Euronext Lisboa fechou  em alta acentuada, completando cinco dias consecutivos de subidas, com o PSI 20 a ganhar 1,92 por cento, para 12.374,30 pontos, impulsionado por uma subida superior a 6 por cento do BCP.
      Dos 20 títulos que compõem o índice, 18 subiram e apenas a Jerónimo Martins e a PT Multimédia fecharam em queda.

    Durante a sessão de hoje foram transaccionadas 113 milhões de acções, no valor de 429,4 milhões de euros, aproximadamente o dobro dos valores registados na sessão anterior.

    Na Europa, a generalidade dos mercados fechou em terreno positivo, ajudados pelas valorizações do sector bancário, com os investidores convictos de que já terá passado a pior fase da crise do crédito imobiliário de alto risco ('subprime').

    O índice Euronext 100 subiu 0,19 por cento, para 1.026,28 pontos, e o índice DJ Stoxx ganhou 0,52 por cento, para 3.866,03 pontos.

    Lisboa registou a maior valorização entre as congéneres europeias, num dia em que os ganhos nas restantes bolsas oscilaram entre os 1,28 por cento de Madrid e os 0,31 por cento de Frankfurt.

    Na bolsa portuguesa, o BCP liderou os ganhos, ao valorizar 6,16 por cento por cento, para 3,10 euros, suportado pelos pares europeus e pelo reforço da posição accionista do BPI.

    Depois do banco liderado por Fernando Ulrich ter anunciado que já tem quase 9 por cento do capital do BCP, voltaram a surgir no mercado as especulações relativas a uma eventual fusão entre as duas casas.

    Ao longo da sessão negociaram-se mais de 50 milhões de títulos do BCP, relativos a um volume de negócios de aproximadamente 155 milhões de euros.

    O BPI também fechou em alta acentuada, ganhando 1,46 por cento, para 6,26 euros, assim como o BES, que valorizou 2,01 por cento, para 16,23 euros.

    A Impresa foi o segundo título mais valorizado, fechando em alta de 4,74 por cento, para 2,43 euros, mas foi o grupo Sonae que ajudou à valorização acentuada do índice de referência da bolsa portuguesa.

    A Sonae Indústria fechou a subir 4,08 por cento, para 8,42 euros, seguida pela Sonae SGPS, que valorizou 3,24 por cento, para 1,91 euros.

    A Sonaecom também voltou a acumular ganhos, fechando em alta de 2,65 por cento, 3,88 euros.

    Os pesos pesados EDP e Portugal Telecom ganharam 0,49 e 0,71 por cento, respectivamente, com os títulos da eléctrica a fecharem nos 4,14 euros e os da operadora de telecomunicações a atingirem 9,91 euros.

    Do lado das descidas, destaque para a PT Multimédia, que recuou 2,16 por cento, para 10,44 euros, e a Jerónimo Martins, que perdeu 0,23 por cento, para 4,37 euros.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.