ARS Centro diz que “situações pontuais” não afetam serviço em unidades de saúde


 

Lusa/Ao online   Nacional   4 de Ago de 2018, 18:56

A Administração Regional de Saúde (ARS) do Centro admitiu este sábado “situações pontuais” em que falta conforto térmico, mas assegura a “devida assistência” aos utentes nas diversas instalações de saúde da região.

“Só a nível de cuidados de saúde primários, existem cerca de 500 instalações, pelo que é compreensível e admissível que possam surgir situações pontuais em que não seja possível manter o conforto térmico”, afirma a ARS em comunicado.

Na sexta-feira, o presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Carlos Cortes, disse que os centros de saúde e hospitais da região Centro não dispõem de condições para os seus profissionais e doentes enfrentarem as altas temperaturas que nestes dias se registam em Portugal.

“O Ministério da Saúde e a Direção-Geral da Saúde esqueceram-se de uma medida essencial: para dar resposta aos doentes, sobretudo aos utentes com doenças crónicas, aos utentes mais idosos e às crianças, são necessárias condições térmicas adequadas", reclamou Carlos Cortes em comunicado.

A Administração Regional de Saúde “tem vindo a identificar e a resolver algumas das situações que, aliás, estão acauteladas nos próprios planos de contingência” dos agrupamentos de centros de saúde (ACeS) e hospitais.

“Nesta altura particularmente crítica, face às altas temperaturas que se fazem sentir no país e na região Centro em particular, a ARS do Centro continua a acompanhar o funcionamento dos serviços de saúde onde todos os profissionais, dentro da normalidade e com tranquilidade, estão a prestar a devida assistência aos utentes”, afirma a ARS na nota hoje divulgada.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.