Apoios irregulares no sector da Saúde

Apoios irregulares no sector da Saúde

 

Rui Jorge Cabral   Regional   11 de Nov de 2009, 16:45

A atribuição de 404,5 mil euros de apoios sem enquadramento legal e a baixa execução financeira de apenas 42 por cento são as principais conclusões do Tribunal de Contas numa auditoria aos investimentos do Plano de 2007 no sector da Saúde.
A maioria dos apoios considerados irregulares pelo Tribunal de Contas destinava-se à realização de Jornadas, Encontros e Conferências (num conjunto de eventos organizados essencialmente pelas próprias unidades de saúde  ou outras instituições públicas) e também a várias IPSS que desenvolvem programas ligados à promoção de hábitos de vida saudável, ao tratamento da toxicodependência e à prevenção da violência doméstica/promoção da igualdade de género.

No capítulo 40 do Plano, o único no qual o Governo apresentou execução, o investimento previsto era de 10,5 milhões de euros. No entanto, várias reprogramações, condicionadas pelo que já vinha de anos anteriores, levaram a que se executasse apenas 4,4 milhões de euros de investimento na Saúde em 2007, ou seja, 42 por cento do previsto inicialmente no Plano. 


Leia a notícia completa na edição impressa do Açoriano Oriental de Quinta-feira, 12 de Novembro de 2009.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.