Apoio dado à Unileite "mostra bom uso dos recursos financeiros públicos"

Carregando o video...

 

Lusa/AO online   Regional   27 de Jul de 2012, 16:26

O presidente do Governo Regional doa Açores, Carlos César, afirmou hoje que o apoio dado na ampliação da fábrica da Unileite demonstra "o bom uso dos recursos financeiros públicos".

"É, afinal, um investimento apoiado pelo Governo em cerca de 19 milhões de euros, que mostra o bom uso dos nossos recursos financeiros públicos", referiu Carlos César no discurso de inauguração da obra de expansão da fábrica, localizada na freguesia dos Arrifes, que teve um custo total de 30 milhões de euros.

Para o chefe do executivo açoriano, a inauguração do projeto de ampliação e modernização tecnológica vai permitir à Unileite melhorar a sua resposta aos produtores associados, às exigências de mercado e à sua própria autonomia, competitividade e sustentabilidade.

"O que conseguimos hoje é que a Unileite passe a ter a capacidade de transformação da totalidade do leite produzido pelos seus associados", referiu, acrescentando que a cooperativa "pode reduzir os volumes enviados para transformação em pó e aumentar a valorização do produto que lhe é entregue pelos seus cooperantes".

Segundo o governante, o "enorme percurso" da fábrica representa também "os enormes progressos a todos os níveis feitos ao longo desta década na fileira do leite e setor agropecuário em geral".

Carlos César recordou que quando assumiu funções de presidente do Governo Regional, em 1996, encontrou uma fábrica "quase a fechar as portas" e a agricultura "em situação de pré-falência", mas sublinhou que, passados estes ano, o setor modernizou-se.

"É mais um bom investimento do empresariado agrícola, na fileira do leite, na especialização e valorização produtiva dos Açores, da atividade exportadora, enfim, na sustentabilidade da nossa economia", sustentou.

Carlos César frisou que o investimento realizado pela Unileite permitirá diversificar a produção e otimizar as estruturas de custo da empresa, que "fica dotada de outro e melhor potencial para assegurar os atuais mercados em que está implantada e para conquistar novos mercados de exportação".

Para o presidente da cooperativa, Gil Jorge, o projeto de ampliação da fábrica "foi arrojado", mas, apesar dos tempos difíceis que se avizinham e do ‘fantasma’ da abolição do regime de quotas, o futuro não é temido.

"Já arregaçámos as mangas, preparando com este projeto outras condições que nos permitem continuar a inovar e podermos ser competitivos em novos mercados", afirmou Gil Jorge, revelando que a ampliação a fábrica duplica a capacidade instalada.

A Unileite, com 674 associados e 232 colaboradores, passa a ter capacidade para receber 600 mil litros de leite por dia.

No último ano, a fábrica da Unileite faturou 60 milhões de euros.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.