Justiça

Antigo ditador argentino condenado a prisão perpétua


 

Lusa/AO online   Internacional   23 de Dez de 2010, 10:06

O antigo ditador argentino Jorge Videla (1976-1981) foi condenado na quarta-feira a prisão perpétua por um tribunal de Córdoba (centro) pela execução de opositores e outros crimes contra a humanidade.
O antigo general, de 85 anos, tinha já sido condenado à pena perpétua em 1985, num julgamento histórico da junta militar por crimes cometidos durante a ditadura, de que resultaram 30 mil desaparecidos, segundo organizações de defesa dos direitos humanos.

No entanto, a pena foi anulada em 1990 por indulto do então Presidente Carlos Menem, decisão que foi declarada inconstitucional em 2007 e confirmada em Abril passado pelo Supremo Tribunal.

O antigo general começou a ser julgado em Córdoba, no início de Julho, com mais 29 arguidos, pela execução de 31 presos políticos.

Entre estes, conta-se o antigo general Luciano Menendez, condenado pela quarta vez a prisão perpétua por violação dos direitos humanos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.