Mundial 2018

Alemanha cai frente ao México e Brasil tropeça com a Suíça

Alemanha cai frente ao México e Brasil tropeça com a Suíça

 

Lusa/Ao online   Futebol   17 de Jun de 2018, 21:39

O México venceu este domingo a Alemanha, por 1-0, e impôs aos campeões em título uma entrada em falso na defesa do troféu no Mundial2018 de futebol, na Rússia, e o candidato Brasil ‘derrapou’ ao empatar a 1-1 com a Suíça.

O empate entre as seleções do Brasil e da Suíça, que partilhou com Portugal o apuramento, perdendo apenas um jogo com a equipa das ‘quinas’, deixa a Sérvia, após o triunfo sobre a Costa Rica, por 1-0, na liderança isolada do Grupo E.

Hirving Lozano, aos 35 minutos, marcou o golo da vitória frente à ‘mannschaft’, que deixou o México isolado no topo do agrupamento F, antes de Suécia e Coreia do Sul se defrontarem, na segunda-feira.

O México atuou com algum perfume português em Moscovo, com os ‘dragões’ Hector Herrera e Miguel Layún (emprestado ao Sevilha) no ‘onze’ e o benfiquista Raúl Jiménez a partir dos 66 minutos.

Com Guillermo Ochoa imperial na baliza, mas sem precisar de fazer ‘milagres, o México teve em Herrera um dos seus gigantes, bem como em Miguel Layún, jogador que o FC Porto cedeu ao Sevilha, e que, já na parte final, esteve perto de acabar com o jogo.

A Alemanha averbou o primeiro desaire na estreia em campeonatos do mundo desde 1982, quando perdeu por 2-1 com a Argélia, e entrou no lote restrito de seleções a iniciar a defesa do título a perder, quatro anos depois de a Espanha, campeã em 2010, ser goleada por 5-1 pela Holanda.

O mexicano Rafa Marquez, de 39 anos, entrou ainda para a história dos Mundiais ao igualar, com cinco participações, o recorde de presenças em fases finais do seu compatriota António Carbajal e do alemão Lothar Matthaus.

O Brasil, com os ex-portistas Danilo e Casemiro (que jogou no Dragão em 2014/15 por empréstimo do Real Madrid) chegou à vantagem através de um golaço de Philippe Coutinho, aos 20 minutos, e na Arena Rostov chegou a pairar a hipótese de um triunfo folgado.

Tal não aconteceu, muito por culpa de um Neymar ainda à procura de ritmo competitivo, após lesão, e foi a Suíça – que tem uma derrota nos últimos 23 jogos, frente a Portugal – que empatou por Zuber, aos 50 minutos, com um cabeceamento na pequena área, após a marcação de um pontapé de canto.

Em Samara, e também para o Grupo E, um ‘golaço’ do capitão Aleksandar Kolarov, aos 58 minutos, na transformação de um livre direto de forma irrepreensível, valeu à Sérvia um triunfo por 1-0 sobre a Costa Rica, do ainda sportinguista Bryan Ruiz.

O jogador da Roma foi o único a encontrar o caminho do golo e a conseguir bater o guarda-redes do Real Madrid Keylor Navas, que adiou até poder o tento de uns sérvios que não foram avassaladores, mas criaram mais e melhores ocasiões de golo.

Pela segunda vez na fase final de um Mundial como Sérvia, a formação balcânica deu um passo em frente rumo aos ‘oitavos’ - que falhou em 2010 -, ao contrário da Costa Rica, que, num grupo com Brasil e Suíça, dificilmente repetirá os êxitos de 1990 e 2014.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.