Terrorismo

Al-Qaida exige também resgate para libertar refém francês no Mali


 

Lusa / AO online   Internacional   11 de Jan de 2010, 17:24

A Al-Qaida no Magrebe Islâmico (AQMI) exigiu também um resgate elevado para libertar o refém francês Pierre Camatte, sequestrado em Novembro passado no norte do Mali, afirmou uma fonte próxima dos mediadores da negociação.
"A AQMI pediu também um resgate, de muito dinheiro, para libertar o refém francês. Exigiram ainda a libertação de quatro dos seus prisioneiros no Mali", declarou a mesma fonte, sem adiantar o montante reclamado pela célula da rede terrorista.

A divulgação desta informação acontece poucas horas depois de o centro norte-americano de vigilância dos sites islamitas SITE ter avançado que a AQMI ameaçava executar o cidadão francês se os membros da organização detidos não fossem libertados num prazo de 20 dias.

"O grupo deu aos governos francês e do Mali um período de 20 dias para libertar os quatro prisioneiros da AQMI no Mali, ou Camatte será executado", indicou o SITE, citando um comunicado publicado domingo em fóruns jiadistas.

A Al-Qaida no Magrebe Islâmico reivindicou em Dezembro o sequestro de Camatte, capturado no Mali a 26 de Novembro, assim como de três reféns espanhóis, sequestrados quatro dias antes na Mauritânia.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.