Maré negra

Águas do Golfo do México reabertas à pesca quase na totalidade


 

Lusa/AO online   Internacional   16 de Nov de 2010, 10:26

O Golfo do México foi segunda-feira quase completamente reaberto à pesca, sete meses depois da explosão e naufrágio da plataforma Deep Horizon, da petrolífera BP, na origem da pior maré negra da história dos Estados Unidos.
A Agência Oceânica e Atmosférica norte-americana (NOAA, na sigla em inglês) afirmou, em comunicado, que reabriu à pesca uma zona de quase 22 mil quilómetros quadrados, o que faz com que 99,6 por cento das águas federais do Golfo do México estejam já reabertas às actividades piscatórias.

Apenas uma zona de cerca de 1700 quilómetros quadrados, situada em torno do local onde estão os tubos danificados de crude, continua interditada à pesca comercial ou de lazer.

As águas costeiras do estado do Luisiana (sul), o mais afectado pela maré negra, estão já abertas à actividade piscatória a 98,5 por cento.

Nenhuma fuga de crude foi detectada desde 25 de Julho, adianta a NOAA, precisando que os analistas da qualidade da água do mar identificaram quantidades de crude e de produtos dispersos “muito inferiores aos níveis de alerta”.

A mais forte maré negra da história dos Estados Unidos levou ao encerramento de 229 mil quilómetros quadrados das águas federais à pesca.

Cerca de 4,9 milhões de barris de crude foram derramados dos tubos danificados que libertaram petróleo directamente para o fundo do mar, depois da explosão da plataforma da petrolífera britânica BP, a 20 de Abril.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.