Água e desenvolvimento sustentável dominam 2.º Fórum Internacional Gaia Todo um Mundo

Água e desenvolvimento sustentável dominam 2.º Fórum Internacional Gaia Todo um Mundo

 

Lusa/Ao online   Nacional   29 de Jul de 2018, 10:11

O 2.º Fórum Internacional Gaia Todo um Mundo vai decorrer entre 27 a 30 de setembro naquela cidade do distrito do Porto com enfoque na cooperação para o desenvolvimento sustentável, foi anunciado este domingo.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a organização do fórum explica que a temática escolhida para a edição de 2018 decorre do anúncio em março feito pela Organização das Nações Unidas (ONU) da "Década Internacional para a Ação: Água para o Desenvolvimento Sustentável (2018-2028)".

Alinhado com este propósito, a organização quer "promover novas parcerias, melhorar a cooperação e fortalecer a capacidade de implementar a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável".

O Gaia Todo um Mundo abordará esta temática "concentrando-se em sete áreas programáticas: pensamento, artes visuais, música, cinema, performance, teatros e contos", num conjunto de ofertas que terá também "uma rota gastronómica", refere a nota de imprensa.

Centrando-se na ideia de que "Gaia é um ponto de encontro para o mundo, com participações internacionais e com capacidade de atração de diferentes públicos, mas centrado na inquietação ambiental e de que também a ‘humanidade tem prazo de validade'", o fórum "quer fomentar o desenvolvimento de uma sociedade civil mais ativa e consciente da sua responsabilidade", acrescenta.

Dentro da área designada de ‘Pensamento', serão debatidos temas "como a precipitação e o futuro da agricultura", e questões "relacionadas com a água e a cooperação para o desenvolvimento sustentável, dentro e fora de portas".

O presidente do Conselho Nacional do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CNADS), Filipe Duarte Santos, o ex-presidente da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos, Jaime Melo Baptista, o investigador da Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas, Rui Godinho, o Secretário-Geral do Conselho Nacional da Água, Joaquim Poças Martins, e o vice-presidente da Comissão Diretiva da Associação Portuguesa de Recursos Hídricos, Pedro Teiga, são alguns dos convidados.

Seguindo a política da primeira edição, a organização convidou também personalidades do estrangeiro, desta vez elementos ligados ao prémio Nobel alternativo do ambiente, o Goldman Environmental Prize, com a participação do diretor executivo Mike Sutton para "explicar de que forma estão a mudar o mundo".

Participará ainda um dos laureados de 2018, Lee-Anne Walters "que investigou, descobriu e denunciou a existência de níveis de chumbo seis vezes superior ao aceitável em água de torneira para consumo humano", situação que obrigou os "governos local e estadual do Michigan e o governo federal do Estados Unidos a agir e garantir que os moradores servidos pelo rio Flint tivessem acesso a água limpa".

A visão ao nível da cooperação para o desenvolvimento sustentável, de países africanos de língua oficial portuguesa, bem como a associação onde têm assento todos os operadores e fornecedores de água para consumo público da Europa, como é o caso das águas de Paris e das Águas de Milão, trará também outros convidados a Vila Nova de Gaia.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.