Açorianos recorrem quatro vezes por ano à Rede Integrada de Apoio ao Cidadão

Açorianos recorrem quatro vezes por ano à Rede Integrada de Apoio ao Cidadão

 

Lusa/AO Online   Regional   6 de Fev de 2019, 09:25

Os açorianos recorrem, em média, quatro vezes por ano aos serviços da Rede Integrada de Apoio ao Cidadão nos Açores (RIAC), anunciou o vice-presidente do Governo Regional, Sérgio Ávila.

"Posso dizer que, no ano que agora terminou, a RIAC procedeu a cerca de 800 mil atendimentos, mais precisamente 798.127 atendimentos", adiantou o governante, acrescentando que "em média, cada açoriano recorreu cerca de quatro vezes" aos serviços prestados por esta rede.

O governante, que tem a pasta da Administração Pública Regional, citado numa nota do Gabinete de Apoio à Comunicação Social do Governo Regional, falava na sessão de abertura do Seminário de Simplificação Administrativa, que decorreu em Angra do Heroísmo, no âmbito do projeto SIMPLIMAC do programa de iniciativa comunitária INTERREG MAC 2014-2020, envolvendo entidades públicas dos Açores, Madeira, Canárias, Cabo Verde e Senegal.

Segundo Sérgio Ávila, em comparação com 2017, registaram-se "mais 48 mil atendimentos" em 2018 nos 54 postos de atendimento da RIAC existentes em todas as ilhas dos Açores.

O governante anunciou, no seminário, um investimento de cerca de dois milhões de euros em equipamento tecnológico e de transformação digital dos serviços.

"Este ano, para evitar que haja filas de espera, vamos implementar uma ferramenta, disponibilizada através do portal [RIAC] e da linha verde, que vai permitir às pessoas marcar o seu atendimento numa hora programada, evitando, assim, perder tempo em filas de espera", adiantou.

Em breve, será também possível pedir uma senha e acompanhar a evolução do atendimento através de um computador ou de um dispositivo móvel e será criado um sistema de notificações por SMS ou por correio eletrónico para informar os açorianos sobre a evolução os seus pedidos.

Os trabalhadores da RIAC estiveram, por duas vezes, em greve, em 2018, entre 02 e 04 de maio e nos dias 20 e 21 de dezembro.

O Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos (SINTAP) nos Açores reivindica a criação de uma carreira especial para os cerca de 130 trabalhadores da RIAC, alegando que "têm tarefas e competências cada vez mais abrangentes, complexas, exigentes e de grande responsabilidade, que vão muito além do conteúdo funcional previsto para a carreira do regime geral de assistente técnico".

No entanto, a direção da RIAC considera que "não estão reunidos os requisitos legais para o efeito".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.