Açores estão a copiar outros destinos

Açores estão a copiar outros destinos

 

Lusa/AO online   Regional   27 de Set de 2018, 17:00

O especialista em turismo Francisco Silva, da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHRE), afirmou que os Açores estão a vender-se neste setor “copiando” outros destinos, quando se deveriam promover como algo único.

“Os Açores tendem a vender-se frequentemente copiando alguns outros destinos, quando tinham que assumidamente promover-se como algo raro, que não existe mais”, declarou à agência Lusa o docente da ESHRE, que esteve em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel a participar num simpósio internacional organizado pelo CIBIO Açores/InBio, da Universidade dos Açores.

Para o especialista em turismo e lazer, os Açores deveriam ser vendidos como “algo extraordinário” e assim “serem construídos”, pensando-se o setor no arquipélago a longo prazo e “não numa preocupação de crescer rapidamente”, dando-lhe sustentabilidade.

Na sua perspetiva, o Governo dos Açores tem sido "pressionado pelos agentes turísticos" para crescer o mais rápido possível, adiantando que o planeamento que tem havido “tem sido reativo” face ao “forte crescimento” que se registou, que vai “evidentemente parar”.

Francisco Silva considera que os Açores cresceram porque “era a região portuguesa com menor procura turística”, a par do “enorme constrangimento resultante das acessibilidades”, a que há a associar o cenários pós-crise e as especificidades das ilhas, que define como “pérolas no meio do Atlântico”.

Se aos factos que levaram ao crescimento do setor na região açoriana não for acrescentado valor à oferta, o 'boom' turístico “vai parar”, segundo o docente da escola de hotelaria, que refere que na região “ainda não se encontrou uma estratégia para o futuro”, apesar da existência do Plano Estratégico e de Marketing do Turismo dos Açores.

Uma vez que os planos ’per si’ "não são suficientes”, o especialista defende que há que haver uma forma de os implementar”, devendo estes serem uma “simbiose com aquilo que as comunidades necessitam”, com os diferentes agentes e a população a "reverem-se nisso”.

De acordo com dados do Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA), com base na informação disponível sobre a evolução do número de passageiros aéreos desembarcados e o valor dos levantamentos em caixas multibanco, estima-se que o número de dormidas na hotelaria tradicional dos Açores em agosto foi de 254 mil, o que revela uma diminuição de 1% em termos homólogos.

O turismo em espaço rural registou em julho, por seu turno, 13.609 dormidas.

O Governo Regional está a assinalar hoje o Dia Mundial do Turismo com iniciativas em todas as ilhas do arquipélago que incluem ações que “visam proporcionar aos turistas um maior conhecimento da realidade açoriana e das particularidades dos Açores, nomeadamente da cultura, gastronomia, artesanato e produtos regionais”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.