Acordo para coligação determina legislaturas com calendário fixo

Acordo para coligação determina legislaturas com calendário fixo

 

lusa/AO Online   Internacional   12 de Mai de 2010, 06:58

Os mandatos dos governos britânicos vão ter datas fixas, ao contrário do que acontece atualmente, mas os democratas liberais tiveram de ceder à pretensão dos conservadores de renovarem o arsenal nuclear.

Estes são alguns dos termos do acordo da coligação entre os dois partidos para formar um governo, que terá David Cameron, líder conservador, como primeiro ministro, e Nick Clegg, líder dos Lib Dems, como número dois.

As próximas eleição deverão realizar-se, assim, na primeira quinta feira de maio de 2015, acabando com o poder do primeiro ministro de marcar convenientemente a data do escrutínio no prazo dos cinco anos do mandato.

Para a frente vai o orçamento de emergência previsto pelos conservadores para os próximos 50 dias e o plano de redução das despesas públicas no valor de seis mil milhões de libras (cerca de sete mil milhões de euros).

O novo governo vai também recuar no aumento das contribuições para a segurança social anunciado pelo anterior ministro das Finanças, Alistair Darling, avançaram fontes do partido conservador à BBC.

Ainda no plano financeiro, os democratas liberais veem avançar a proposta de redução dos impostos sobre os rendimentos, que será introduzida de forma faseada, e o agravamento das taxas sobre as mais valias.

Mas Nick Clegg foi obrigado a abandonar a ideia de aumentar os impostos sobre as residências mais caras, obtendo em troca um adiamento da intenção dos conservadores de aliviarem o imposto sucessório.

Na renovação dos submarinos nucleares, parece que David Cameron venceu a oposição dos democratas liberais e vai renovar o sistema, mas os custos serão de novo revistos e reavaliados.

Os conservadores conseguiram também impor a obrigatoriedade de um referendo à eventual transferência de poderes para Bruxelas e a recusa da adesão ao euro, que não acontecerá durante esta legislatura.

Esta é o primeiro governo de coligação em 70 anos, depois da aliança que o conservador Winston Churchill firmou com o rival do partido trabalhista Clement Attlee durante a II Guerra Mundial e que durou três anos.

Em 1974, a última vez que as eleições resultaram num parlamento sem maioria absoluta de um único partido, o primeiro ministro, Edward Heath, tentou uma coligação com os liberais de Jeremy Thorpe. Mas as negociações falharam e teve de dar lugar ao trabalhista Harold Wilson, que governou em minoria até convocar novas eleições, meses mais tarde, que venceu com uma pequena maioria.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.