Acidente na Fórmula 2 vitima piloto francês e deixa desporto automóvel 'em choque'


 

AO Online/ Lusa   Motores   31 de Ago de 2019, 21:29

Um violento acidente ocorrido na segunda volta da corrida de Fórmula 2, este sábado, no circuito de Spa-Francorchamps, vitimou o piloto francês Anthoine Hubert, de 22 anos.

O piloto da Renault, que corria pela BWT-Arden, despistou-se em Eau Rouge, a curva número dois do circuito belga, num acidente que envolveu ainda o japonês Marino Sato e o francês Giuliano Alesi, filho do antigo piloto Jean Alesi.

Na sequência do despiste, o monolugar do piloto francês foi apanhado em cheio pelo do equatoriano Juan Manuel Correa, num embate lateral, ficando partido em dois.

A corrida, que se disputou pouco depois da qualificação da prova de Fórmula 1, foi imediatamente cancelada pela organização para permitir o socorro aos feridos.

Em comunicado, a Federação Internacional do Automóvel (FIA) revela que Hubert foi inicialmente atendido no hospital do circuito, mas, "devido à gravidade dos ferimentos", foi helitransportado para um hospital da região, morrendo às 18:35 locais (menos uma em Lisboa).

"O piloto do carro 12, Juan Manuel Correa, está em condições estáveis e está a receber tratamento no hospital de Liège. Mais informações sobre a sua condição física serão fornecidas quando estiverem disponíveis", lê-se no comunicado da FIA, que adianta ainda que Alesi recebeu alta médica ainda no circuito.

Não foram divulgadas as causas da morte de Anthoine Hubert, mas a FIA anunciou já a abertura de um inquérito para apurar as causas do acidente, que aconteceu às 17:07 locais, quando os pilotos seguiam a 257 quilómetros por hora, com a pista seca.

Anthoine Hubert tinha 22 anos e estava sob contrato da Renault, com vista a vir a ocupar um lugar na equipa de Fórmula 1 do construtor francês no futuro.

Tinha duas vitórias neste campeonato e ocupava a oitava posição.

Natural de Lyon, começou a carreira nos monolugares em 2013, sagrando-se campeão francês de Fórmula 4.

Passou para a Fórmula Renault em 2014 e para a Fórmula 3 europeia em 2016, onde correu com alguns dos pilotos que atualmente competem na Fórmula 1, como o britânico George Russell e o canadiano Lance Stroll.

Deu o salto para a GP3, categoria da qual foi campeão em 2018.

Em comunicado, a Renault Sport Racing mostrou-se "devastada" pela "perda de um dos seus mais brilhantes talentos".

Vários pilotos de Fórmula 1 também expressaram a sua consternação.

"É devastador. Deus te tenha em descanso, Anthoine. As minhas orações estão contigo e com a tua família", escreveu na rede social Instagram o pentacampeão mundial de Fórmula 1, o britânico Lewis Hamilton.

Na rede social twitter, o holandês Max Verstappen diz-se "chocado", tal como a Federação Francesa de Automobilismo.

A equipa McLaren endereçou "sentidas condolências" à família e amigos do piloto.

A última vítima mortal de uma das corridas da FIA foi o também francês Jules Bianchi, na sequência das lesões cranianas sofridas num acidente durante o Grande Prémio do Japão, em outubro de 2014.

Essa morte motivou a introdução do halo, um arco montado por cima dos pilotos.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.