Grécia

Abade de convento milenar preso em escândalo de corrupção


 

Lusa/AO online   Internacional   28 de Dez de 2011, 15:07

As autoridades gregas prenderam o abade de um mosteiro ortodoxo grego com mais de mil anos de história, acusando-o de ter tido um papel fundamental num alegado escândalo imobiliário que envolvia negócios com o Estado grego.
No polémico negócio, segundo os investigadores, o mosteiro de Vatopedi fez uma troca de terrenos com o Estado, que beneficiou a instituição religiosa e custou cerca de 100 milhões de euros aos contribuintes e contribuiu para a derrota do governo conservador grego, nas eleições de 2009.

As autoridades prenderam o abade Efraim, de 55 anos, na prisão de Korydallos, nos subúrbios da capital, Atenas, enquanto um grupo de apoiantes do religioso se manifestava à porta do estabelecimento prisional, vigiado por polícia de choque.

“O abade é um homem de bem”, gritavam alguns dos apoiantes, segundo a agência noticiosa Associated Press, que informa ainda que o religioso passou a noite na sede da polícia grega, depois de ter deixado, na terça-feira, o convento que se situa no Monte Athos, no Norte das Grécia, a 600 quilómetros de Atenas.

Os apoiantes de Efraim, incluindo muitos monges e freiras, montaram também guarda às portas do quartel-general da polícia na terça-feira.

Dois ministros acabaram por ser demitidos, devido ao escândalo do negócio entre o mosteiro e o Estado, que o governo conservador cancelou, por considerar que lesava o interesse público.

Ainda não há data prevista para o julgamento do abade, mas os advogados do religioso deverão exigir a sua liberdade sendo que, ao abrigo da legislação grega, os suspeitos podem estar 18 meses em prisão preventiva.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.