No Brasil

20 milhões de brasileiros deixaram o limiar da pobreza em 2007


 

Lusa/AO   Internacional   24 de Dez de 2007, 13:38

O Presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou hoje que 20 milhões de brasileiros deixaram este ano o limiar da pobreza, devido ao crescimento da economia do país.
"Quem está a ir ao centro comercial, quem está a ir a um lugar onde se vende muito, percebe que o povo pobre está a comprar, o povo pobre está indo às compras", salientou, no seu programa semanal de rádio "Café com o Presidente".

    "Essas pessoas estão a ter uma ascensão na sua vida social, as pessoas estão a fazer parte do mercado, as pessoas estão a tornar-se consumidores, o que é uma coisa extremamente importante", afirmou.

    Lula da Silva destacou que a economia brasileira vive um "momento excepcional", com a criação de cerca de dois milhões de empregos formais, entre Janeiro e Novembro deste ano, um dos melhores resultados de sempre.

    O presidente salientou também o aumento dos investimentos por parte das empresas, afirmando que "o Brasil está preparado para um grande ciclo de crescimento sustentável".

    "Os empresários brasileiros estão a investir como poucas vezes investiram. A indústria automobilística e a indústria da construção civil crescem de forma extraordinária", disse.

    Lula da Silva sublinhou que um dos factores que deve contribuir para o crescimento da economia, em 2008, será o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

    Lançado em Janeiro deste ano, o PAC incluiu um conjunto de investimentos públicos e privados de 504 mil milhões de reais (193,8 mil milhões de euros) em obras de infra-estruturas.

    O objectivo é garantir um crescimento de cerca de cinco por cento ao ano da economia brasileira até 2010, o mesmo índice previsto para 2007.

    "Só posso, nesta véspera de Natal, dizer ao povo brasileiro que trabalho com a certeza de que 2008 será infinitamente melhor que 2007", disse o Presidente.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.