Aviação

SATA baptiza novos Dash Q200 e Airbus A320

SATA baptiza novos  Dash Q200 e Airbus A320

 

João Cordeiro   Regional   15 de Jun de 2009, 10:40

“Diáspora”, “Graciosa” e “Faial” são os nomes escolhidos para baptizar as novas aeronaves da SATA - um Airbus A320 e dois Dash Q200 - numa cerimónia que se realiza hoje à tarde no Aeroporto João Paulo II, em Ponta Delgada.

Depois de algumas semanas a percorrer os céus dos Açores em voos de treino, as duas mais recentes aquisições da frota da SATA Air Açores, os Dash Q200 da Bombardier, assim como o novo Airbus A320 que já iniciou o transporte de passageiros, vão ser hoje baptizados, numa cerimónia simbólica que vai ter lugar no Aeroporto João Paulo II, em Ponta Delgada.


“Diáspora” foi o nome escolhido para o Airbus, enquanto as ilhas Graciosa e Faial “apadrinham” as duas aeronaves mais pequenas.


Os dois Dash Q200, que segundo informações disponibilizadas pela companhia aérea açoriana estão a revelar uma boa adaptação a todos os aeroportos da Região, fazem parte da aposta do Grupo SATA na renovação integral da frota que assegura o transporte inter-ilhas, que ficará completa no primeiro trimestre do próximo ano com a chegada de quatro aviões Dash Q400, da mesma fábrica, substituindo os cinco ATP e o Dornier - adquiridos pela transportadora aérea no final dos anos 80 e início dos anos 90 - e que actualmente desempenham esta função.


Com capacidade para 37 passageiros, as aeronaves “Graciosa” e “Faial” destinam-se às ligações com as ilhas do Corvo e Flores, e às rotas do Grupo Central, sendo que um dos aviões pode vir a substituir o ATPque realiza a rota de ligação entre as ilha da Madeira e Porto Santo, concessionada à SATAAir Açores até Agosto de 2010.


Caso esta situação se confirme e a concessão não seja renovada, a aeronave deverá reforçar a frota que estiver a operar no arquipélago açoriano.


Embora a entrada em funcionamento dos Dash Q200 esteja prevista para breve, a companhia aérea ainda não avançou com uma data concreta.


Uma das grandes vantagens deste avião bimotor turbo-hélice é a possibilidade de operar com várias configurações interiores, que permitem diferentes combinações entre o número de lugares disponíveis para o transporte de passageiros e o volume de carga máximo.


Esta característica vai permitir um escoamento de carga mais flexível e económico a partir de todas as ilhas do arquipélago.


Assim, com os 37 lugares disponíveis, o Q200 terá 8,5 metros cúbicos destinados a transporte de carga, sendo que com 29 lugares este espaço duplica, e com apenas 21 lugares instalados, a aeronave terá 25 metros cúbicos livres para carga.


Note-se que a capacidade de armazenamento de carga dos ATP era de 9,4 metros cúbicos, e no Dornier apenas 2,6.


Além disso, o facto de se tratar de uma aeronave pressurizada, ao contrário do Dornier, vai oferecer maior conforto aos passageiros nas rotas que actualmente são realizadas pelo mais pequeno avião da frota do Grupo SATA.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.