Zeinal Bava ouvido na comissão parlamentar de inquérito

 Zeinal Bava ouvido na comissão parlamentar de inquérito

 

Lusa/AO Online   Nacional   16 de Mai de 2010, 08:33

O presidente executivo da Portugal Telecom (PT), Zeinal Bava, é ouvido hoje na comissão de inquérito parlamentar ao plano da Portugal Telecom para comprar a TVI.

A audição decorre de um requerimento do PCP, interposto por considerar haver "várias contradições" entre as declarações do presidente executivo da PT e as do administrador-delegado da Media Capital, Manuel Polanco, ouvido na sexta feira.

O deputado comunista João Oliveira disse à agência Lusa que é necessário voltar a ouvir Zeinal Bava, para esclarecer "várias contradições" sobre as datas em que o negócio terá começado e terminado.

Na audição de sexta feira, Manuel Polanco disse que falou pela primeira vez com Zeinal Bava sobre a possibilidade de negócio no dia 26 de maio de 2009.

No entanto, João Oliveira considerou haver uma contradição, uma vez que o presidente executivo da PT tinha apontado o dia 19 de junho.

Outro ponto apontado pelo PCP diz respeito à data do fim das negociações.

Zeinal Bava e Henrique Granadeiro, presidente do conselho de administração da PT, garantiram na comissão de inquérito ter decidido no dia 25 de junho de manhã que o negócio não iria concretizar-se.

Na sexta feira, Manuel Polanco referiu também ter falado com Zeinal Bava sobre o negócio já depois de Rui Pedro Soares ter saído de Madrid - segundo João Oliveira, o então administrador da PT deixou Madrid às 10:00 de 25 de junho.

A comissão de inquérito à atuação do Governo na tentativa de compra da TVI visa apurar "se o Governo, direta ou indiretamente, interveio na operação conducente à compra da TVI e, se o fez, de que modo e com que objetivos".

A alínea b do documento fixa ainda que o inquérito pretende "apurar se o senhor primeiro ministro disse a verdade ao Parlamento, na sessão plenária de 24 de junho de 2009", quando disse não ter sido informado da operação.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.