WWF insta países a protegerem leopardo-das-neves


 

Lusa/AO online   Internacional   23 de Ago de 2017, 15:31

A organização ecologista Fundo Mundial para a Natureza (WWF, na sigla em inglês) instou os países onde vive o leopardo-das-neves, incluindo China, Rússia e Índia, a protegerem aquela espécie em vias de extinção e o seu habitat.


Os doze países onde vive aquele felino reuniram-se hoje no Quirguistão. A última reunião ocorreu em 2013, quando se comprometeram a salvaguardar 20 locais onde vivem leopardos-das-neves, até 2020.

O compromisso gerou esperança para esta espécie, mas a três anos do prazo estabelecido pela organização, "há apenas 4.000 leopardos-das-neves no seu habitat", afirmou em comunicado a WWF.

Um estudo recente sugere que as alterações climáticas poderão eliminar mais de dois terços dos habitats daquela espécie, ao longo dos próximos 50 anos, assinalou a organização.

Isto, aliado a projetos de infraestruturas em áreas onde vive, significa que "nos próximos anos, o leopardo-das-neves estará ainda mais próximo do abismo da sobrevivência", advertiu a WWF.

Um relatório recente estima que até 450 leopardos-das-neves são vítimas de caça furtiva todos os anos.

"Os países onde há leopardos-das-neves poderão alcançar um dos maiores êxitos na conservação moderna, porque fizeram avanços prometedores para salvaguardar 20 locais até 2020", assinalou o diretor-geral da WWF International, Marco Lambertini.

"Mas encontramo-nos agora num ponto crítico e os esforços devem aumentar, se queremos alcançar a meta e evitar que os tigres e as comunidades locais sofram as consequências", acrescentou.

Uma petição global conseguiu o apoio de 202.349 pessoas, entre as quais os atores Leonardo DiCaprio e Megan Fox, e insta os líderes mundiais a intensificar os seus esforços para enfrentar as ameaças àquele felino.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.