WWF alerta que pouco mais de 3000 tigres vivem em liberdade no mundo

WWF alerta que pouco mais de 3000 tigres vivem em liberdade no mundo

 

Lusa/AO online   Internacional   28 de Jul de 2014, 17:59

No mundo restam pouco mais de três mil tigres em liberdade, mas há um século eram mais de 100 mil, alertou hoje o Fundo Mundial para a Natureza (WWF), um dia antes do dia mundial do tigre.

 

A WWF advertiu que se nada for feito para mudar esta situação, os tigres poderão extinguir-se, não por causas naturais, mas pela falta de conservação e pela caça realizada a esta espécie.

Estes felinos gigantes são muito valorizados porque várias partes dos seus corpos são usadas para produzir medicamentos prescritos na medicina popular asiática.

Nos últimos 14 anos, foram confiscados 1.590 tigres mortos para que seus corpos fossem utilizados em medicamentos, denunciou a organização.

A WWF afirmou dispor de dados sobre populações de tigres na Índia, Nepal e Rússia, mas desconhece o número de exemplares que ainda vivam em liberdade na Birmânia, Camboja, China, Indonésia, Laos, Malásia e Tailândia.

A organização não governamental (ONG) de conservação apelou aos ditos países que contabilizem os seus tigres, para assim poder protegê-los.

A ONG quer ajudar os países no seu trabalho de conservação, pretendendo dobrar o números destes felinos em liberdade até 2022, mas necessita de colaboração dos governos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.