Vítor Gaspar alerta que redução da TSU deve ser pensada caso a caso

Vítor Gaspar alerta que redução da TSU deve ser pensada caso a caso

 

Lusa/Açoriano Oriental   Economia   8 de Out de 2014, 17:43

O economista do FMI Vítor Gaspar afirmou que a redução da TSU pode ter efeitos positivos no emprego, ressalvando que a questão deve ser ponderada país a país e que "é fundamental" cumprir os objetivos de consolidação orçamental.

 

O ‘Fiscal Monitor’, hoje publicado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e coordenado por Vítor Gaspar, defende que a redução da Taxa Social Única (TSU) paga pelas empresas pode ter efeitos positivos na criação de emprego.

Questionado, numa conferência de imprensa realizada em Washington, sobre se a medida deveria ser aplicada em países da zona euro em dificuldades (como Portugal), Vítor Gaspar começou por salientar que a redução da TSU pode ser benéfica se for direcionada para grupos específicos, como os jovens e os trabalhadores com baixas qualificações.

Depois, o anterior ministro das Finanças do Governo de Pedro Passos Coelho disse que “não há medidas que sirvam a todos” os países e que se trata de uma situação que “tem de ser vista caso a caso”, sendo preciso “uma quantidade tremenda de informação” para avaliar a redução desta contribuição paga pelas empresas.

O atual diretor do Departamento de Assuntos Orçamentais do FMI salientou ainda que “é fundamental” cumprir os objetivos de consolidação orçamental.

Vítor Gaspar recusou responder a questões específicas sobre Portugal.

Uma redução significativa da TSU fazia parte do memorando de entendimento inicial assinado entre o Governo e a 'troika', mas a medida nunca chegou a ser concretizada.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.