Vítor Fraga acusa Sérgio Monteiro de fazer papel de "pronto socorro" do PSD

Vítor Fraga  acusa Sérgio Monteiro de fazer papel de "pronto socorro" do PSD

 

Lusa/AO online   Regional   8 de Ago de 2014, 14:33

O secretário açoriano do Turismo e Transportes acusou o secretário de Estado Sérgio Monteiro de fazer o papel de "pronto socorro" do PSD regional, na polémica sobre o modelo de transporte aéreo entre o arquipélago e o continente.

 

“O Governo dos Açores não precisa de entrar em guerra de palavras com quem faz o papel de pronto socorro do PSD/Açores. Os factos falam por si”, afirmou hoje Vítor Fraga, numa declaração aos jornalistas, em Ponta Delgada.

Na noite de quinta-feira, o secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações, Sérgio Monteiro, responsabilizou o Governo dos Açores pela demora no novo modelo de obrigações de serviço público de transporte aéreo entre os Açores e o continente, num debate organizado pelo PSD/Açores sobre o novo modelo de transporte aéreo e o impacto na economia regional.

“O senhor secretário de Estado dos Transportes é, naturalmente, livre de vir aos Açores em missão partidária de socorro ao PSD/Açores, mas não pode fazê-lo faltando à verdade e insultando a inteligência dos açorianos”, disse Vítor Fraga, acrescentando que entre a data em que o Governo Regional disse que queria rever as obrigações do serviço público de transporte aéreo e a primeira reunião, várias vezes pedidas ao Governo da República, decorreram 26 meses.

O Executivo açoriano enviou para o Ministério da Economia a sua proposta de revisão das obrigações de serviço público do transporte aéreo entre os Açores e o continente em maio de 2012, mas o anuncio da consensualização do novo modelo só ocorreu em julho de 2014.

A 18 de julho, o líder do PSD/Açores e o presidente do Governo Regional anunciaram, separadamente, o estabelecimento de um acordo entre a região e a República quanto ao novo modelo, que prevê uma nova tarifa de residentes nas ligações aéreas entre a região e o continente de 134 euros e no caso dos estudantes de 99 euros.

“Se o senhor secretário de Estado agora está tão diligente neste assunto, pois que aprove rapidamente a proposta em Conselho de Ministros e a comunique a Bruxelas”, disse o governante açoriano.

Durante o debate organizado pelo PSD/Açores o secretário de Estado, Sérgio Monteiro, referiu que o Governo da República foi confrontado, em 2012, com uma proposta que “não apenas não liberalizava o espaço aéreo como fechava mais o mercado” e caso fosse aceite implicaria que a TAP deixaria de voar para a região, porque a tarifa proposta não foi sujeita a consulta.

Hoje o secretário regional, Vitor Fraga, afirmou que a proposta açoriana apresentada à Republica em maio de 2012 protegia os açorianos, criava condições para a abertura do mercado a novos operadores e propunha como valor da tarifa máxima 134 euros, valor que ficou contemplado no modelo recentemente consensualizado.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.