Vírus raro faz primeira vítima mortal nos EUA


 

Lusa/AO online   Internacional   1 de Out de 2014, 18:48

As autoridades norte-americanas anunciaram a morte de uma criança infetada com uma estirpe rara do enterovírus EV-D68, que provoca dificuldades respiratórias e atinge principalmente crianças e adolescentes.

 

Trata-se da primeira vítima mortal associada a este vírus raro e pouco conhecido.

O enterovírus EV-D68, cujos sintomas são semelhantes aos de uma gripe, afetou nas últimas semanas 472 pessoas, a grande maioria crianças, em 41 Estados americanos, incluindo a capital federal Washington, segundo os Centros para o controlo e prevenção de doenças (CDC), uma instância federal da área da saúde.

Várias dezenas de casos foram também confirmados no Canadá.

O Departamento de Saúde do Estado de Rhode Island (nordeste) confirmou hoje, num comunicado, que uma criança morreu na semana passada, precisando que a morte foi provocada por uma “infeção causada por uma bactéria, associada ao enterovírus EV-D68”.

Este tipo de dupla infeção é “uma combinação muito rara, que deixa as crianças e os adultos muito doentes”, referiu o comunicado, acrescentando que só um pequeno grupo dos infetados terá uma evolução mais grave dos sintomas.

Os casos estão a suscitar grande preocupação junto das entidades de saúde norte-americanas, que não tinham, até hoje, registado casos mortais.

“A situação evolui rapidamente e não ficaria surpreendida se existissem mais casos”, afirmou Anne Schuchat, diretora do Centro nacional para a vacinação e das doenças respiratórias.

“Este não é um novo vírus, mas o EV-D68 é muito raro e não sabemos muito sobre ele em comparação com outros vírus da sua categoria”, indicou Schuchat, destacando que outros casos da doença foram detetados no Japão e nas Filipinas.

O enterovírus EV-D68, identificado pela primeira vez em 1962 na Califórnia, se transmite aparentemente quando um paciente tosse ou espirra, ou quando alguém toca numa superfície infetada.

Não existe vacina contra o EV-D68 e os peritos não entendem porque a taxa de incidência do vírus está a evoluir.

Os primeiros casos nos Estados Unidos foram detetados em agosto em Kansas City (Missouri, centro) e em Chicago (Illinois, norte). Os doentes tinham idades compreendidas entre os seis meses e os 16 anos.

Desde então, centenas de crianças foram admitidas nos serviços de urgência norte-americanos, apresentando dificuldades respiratórias.

Alguns dos doentes, como foi o caso no Colorado em setembro, apresentaram sintomas neurológicos com um cansaço muscular, registando uma espécie de paralisia.

O enterovírus EV-D68 é da mesma família do vírus responsável pela poliomielite (doença infeciosa que ataca as células da medula espinhal, e leva, por vezes, à paralisia, também conhecida por paralisia infantil).


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.