Vírus do Ébola já matou 130 profissionais de saúde e infetou 225

Vírus do Ébola já matou 130 profissionais de saúde e infetou 225

 

LUSA/AO Online   Internacional   24 de Ago de 2014, 22:26

A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou hoje que já morreram cerca de 130 profissionais desta área devido ao vírus Ébola, e mais de 225 foram infetados.

Em comunicado, a entidade internacional divulga os dados e confirma, pela primeira vez, que alguém a trabalhar na sua tutela contraiu o vírus. Trata-se de um especialista senegalês enviado pela Organização Mundial de Saúde para trabalhar na Serra Leoa na contenção do surto de Ébola e que, atualmente, está a ser tratado naquela região, havendo a possibilidade de ser transferido para outro país, se for necessário. O especialista senegalês trabalha para uma instituição que integra uma rede criada para que a OMS possa dar resposta rápida a surtos potencialmente epidémicos em qualquer país. Desde o início deste surto de Ébola, em março, a OMS enviou a três países infetados (Libéria, Guiné Conacri e Serra Leoa) 400 profissionais de saúde, tanto da organização como desta rede. A OMS tem 200 funcionários naqueles países, dos quais cerca de 30 pertencem à rede, disse o porta-voz da OMS, Tarik Jasarevic. A organização recordou que o pessoal de saúde é uma parte muito importante da resposta ao surto de Ébola, mas também reconheceu o risco que implica. Por isso, assegurou, são tomadas todas as precauções junto dos profissionais enviados para as zonas onde se registam casos do vírus, para que se possam proteger. Durante os últimos meses, vários médicos, enfermeiros e pessoas que desempenham outras funções de apoio aos doentes de Ébola foram contagiados, o que se poderá estar relacionado com sistemas de saúde mais frágeis e pouco equipados nos países infetados. Atualmente, o balanço de mortos devido ao vírus Ébola é de 1.427 casos, além dos 2.615 infetados. No entanto, a OMS reconhece que esta estatística não reflete a realidade e subestima a dimensão do surto pelo que está a tentar obter números mais próximos do que realmente ocorre.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.