Violência doméstica afeta várias comunidades no Canadá, incluindo a portuguesa

Violência doméstica afeta várias comunidades no Canadá, incluindo a portuguesa

 

LUSA/AO Online   Internacional   3 de Abr de 2016, 14:56

A violência doméstica continua a ser um problema que afeta várias comunidades no Canadá, incluindo a portuguesa, apesar das diversas campanhas de prevenção, disse à agência Lusa fonte de uma instituição de solidariedade social de Toronto.

"É bastante urgente lidar com a violência doméstica, porque infelizmente a violência contra a mulher continua apesar das campanhas de divulgação e ações de educação, ainda é um problema muito grave, preocupa-nos a nossa comunidade", afirmou hoje Marília Santos, assistente social do Centro Abrigo, durante uma iniciativa da instituição. O Centro Abrigo, em Toronto, está em atividade há 25 anos. É uma instituição sem fins lucrativos e tem como objetivo a integração dos recém-chegados ao Canadá, consciencializando a comunidade das problemáticas de cariz social, nomeadamente os jovens, idosos e vítimas de violência doméstica. Presta serviço a mais de seis mil utentes por ano, 90% dos quais portugueses. Atualmente, a instituição está a trabalhar com quatro grupos masculinos de violência doméstica, de várias origens (15 a 20 elementos cada grupo), sendo um dos grupos de portugueses. "É um problema global que não pertence só à comunidade portuguesa. Estes homens que integram os grupos psico-educacionais têm-nos dito que se tivessem sido elucidados quando eram jovens, talvez não tivessem este tipo de reações nos relacionamentos", sublinhou Marília Santos, há 13 anos na instituição. No sábado à noite, a instituição organizou o jantar de gala "Imagine the Possibilities", no salão de espetáculos da Liuna Local 183 (sindicato da construção civil), no norte de Toronto, com o objetivo de angariar apoio para financiar os seus diversos programas. O evento contou com a presença de mais de 300 convidados, entre os quais, a cônsul-geral do Brasil em Toronto, Adriana Rodrigues-Martins, a deputada federal canadiana Julie Dzerowicz, e os vereadores da Câmara Municipal de Toronto Ana Bailão e Cesar Palácio. Outro dos objetivos do jantar de gala foi angariar apoios financeiros para a colocação de um elevador nas suas instalações, localizadas na Dufferin Street, para facilitar o acesso ao segundo piso, onde decorre o programa destinado à terceira idade. "Os utentes têm que subir 19 escadas, e muitos deles têm a mobilidade reduzida. Temos um utente que não se pode movimentar pelos próprios meios e não pode participar no programa. O elevador vai facilitar muito o acesso ao programa", frisou. O programa destinado à terceira idade funciona às terças, quartas e quintas-feiras, conta com 185 idosos registados, participam nas atividades uma média de 100 utentes, sendo a grande maioria de origem portuguesa, e há dois brasileiros. Os idosos participam em diversas atividades, desde jogos lúdicos, música, dança, educação física, passeios e sessões de formação. Oficialmente, há 429 mil portugueses e lusodescendentes no Canadá, mas calcula-se que existam cerca de 550 mil, estando a grande maioria localizada na província do Ontário. Estima-se que entre 60% a 70% sejam de origem açoriana.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.