Vindimas no Douro agravam preocupações com “buracos e desníveis”


 

Lusa / AO online   Economia   4 de Set de 2010, 13:21

O aumento do tráfego de camiões e carrinhas nas vindimas está a agravar as preocupações da população de Ervedosa do Douro, São João da Pesqueira, por causa dos “inúmeros buracos e desníveis” da Estrada Nacional 222 (EN 222).

Taxista há 40 anos, Álvaro Rodrigues disse à agência Lusa que “é uma aventura” conduzir na 222, estrada que é obrigado a percorrer diariamente porque é a única via de acesso a esta freguesia.

“Se nos desviamos de uns entramos nos outros, não tem por onde a gente se desviar. Pobre do carro que sofre”, salientou.

Segundo Álvaro Rodrigues, a estrada está “com o piso completamente deteriorado, cheio de buracos e de perigosos desníveis” entre as Bateiras (junto ao Pinhão) e São João da Pesqueira.

O presidente da Junta de Ervedosa do Douro, Joaquim Monteiro, afirmou que desde que a via foi repavimentada, há 15 anos, não “sofreu mais obras gerais”, mas “apenas remendos de buracos”.

“As chuvas intensas do último inverno degradaram ainda mais o piso, que ficou totalmente danificado e intransitável”, declarou.

E agora, frisou o autarca, as preocupações da população intensificam-se por causa das vindimas, época em que o trânsito aumenta consideravelmente.

“São centenas de carrinhas e camiões carregados de uvas, vinho ou bagaço que passam por aqui todos os dias”, assegurou Joaquim Monteiro.

Ervedosa do Douro é a maior freguesia vinhateira da Região Demarcada do Douro. Aqui existem, segundo o autarca, cerca de uma dezena de adegas privadas.

O autarca garantiu ainda que “muitos” turistas fogem deste região precisamente por “causa das condições da estrada”.

Jorge Rodrigues trabalha para os Correios e é obrigado a passar todos os dias pela EN 222, no percurso de Vila Nova de Foz Côa a Vila Real.

“O pavimento está muito mal e a estrada tem muito trânsito. É difícil conduzir aqui”, referiu, lembrando ainda um acidente que teve por causa do mau estado da estrada e da chuva.

A população reivindica “obras urgentes”, tendo a Assembleia de Freguesia já aprovado moções nesse sentido que foram enviadas ao Governo, Estradas de Portugal, Governo Civil de Viseu e Câmara de São João da Pesqueira.

Ervedosa do Douro ameaça tomar medidas, como o corte da estrada, caso as entidades competentes “não atuem de imediato”.

Não é só nesta zona que a população se queixa da EN 222. Ainda neste inverno a estrada ficou cortada entre a barragem de Bagúste e a chamada rotunda Lamego/Régua por causa de uma derrocada de terras.

A Estrutura de Missão do Douro está a promover um projeto da requalificação da EN 222 com o objetivo de a converter numa via romântica e turística.

Confrontada com o estado da via, a Estradas de Portugal (EP) respondeu que “nos últimos tempos têm sido realizados periodicamente trabalhos de reconstrução de muros de suporte, de limpeza de bermas, de taludes e órgãos de drenagem, bem como de tapagem de covas e regularizações pontuais do pavimento”.

A EP adiantou que antes do início do inverno prevê que “sejam executados trabalhos de melhoria das condições do pavimento”, acrescentando que a empresa conta lançar “no início do quarto trimestre deste ano o concurso público para a elaboração do projeto de beneficiação da EN 222 entre Ponte das Bateiras e S. João da Pesqueira e da EN 222-3, entre S. João da Pesqueira e Ferradosa”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.