Vila do Porto cede terreno para aumento da produção de meloa

Vila do Porto cede terreno para aumento da produção de meloa

 

Lusa/AO online   Regional   10 de Fev de 2016, 16:39

A Câmara de Vila do Porto cedeu à cooperativa de produtores agropecuários de Santa Maria terrenos para aumentar a produção de meloa, fruto com Indicação Geográfica Protegida, disse o presidente da autarquia.

 

Segundo Carlos Rodrigues, o município dispõe de terrenos entre o antigo campo de futebol e o açucareiro, área que em tempos pertenceu à Direção-Geral da Aeronáutica e, depois, à ANA - Aeroportos de Portugal, mas que "foi cedida há algum tempo à câmara".

"Temos para lá um projeto que não terá execução no imediato e, como a cooperativa tem produtores interessados em aumentar a sua produção e precisam de mais terrenos, foi proposto à câmara se estava disponível para ceder através de contrato de comodato pelo menos por três anos e foi aprovada a decisão", declarou Carlos Rodrigues.

À agência Lusa, o presidente da Agromariense -- Cooperativa de Produtores Agropecuários da Ilha de Santa Maria, Duarte Moreira, explicou que o terreno tem uma área de 36 mil metros quadrados, mas "a área útil de produção é de cerca de 23 mil metros quadrados".

Duarte Moreira esclareceu que, neste momento, a produção anual de meloa é de cerca de 100 toneladas, sendo aproximadamente metade destinada ao mercado dos Açores e a restante para Portugal continental.

"O nosso objetivo é aumentar a produção e, para podermos aumentar, precisamos de mais terrenos. Esta é mais uma ajuda para se atingir os nossos objetivos", disse Duarte Moreira, referindo que este ano o desejo é duplicar a produção.

A cooperativa, criada em 2006, conta com 84 associados e desde há três anos tem um Centro Logístico Agroalimentar, que traçou como meta "chegar às 350, 400 toneladas anuais de produção de meloa".

A meloa é produzida nos três meses do verão e, segundo Duarte Moreira, este fruto produzido na ilha de Santa Maria é "único", pois o solo, "muito rico em potássio, confere ao fruto muita doçura e um aroma único que não existe noutras meloas".

Em fevereiro do ano passado, Bruxelas classificou a meloa de Santa Maria como produto de Indicação Geográfica Protegida (IGP), passando o fruto a integrar uma lista que contava então com quase 1.200 produtos regionais.

A meloa foi classificada devido ao seu sabor doce e suculento quando madura e ao elevado teor de vitamina C, muito superior à média das meloas comuns.

A IGP é a classificação ou certificação oficial regulamentada pela União Europeia atribuída a produtos gastronómicos ou agrícolas tradicionalmente produzidos numa região.

Três meses depois, o Governo Regional dos Açores anunciou a cedência à Agromariense de 54 mil metros quadrados de terrenos na zona do aeroporto de Santa Maria para a produção de meloa da ilha.

A concessão dos terrenos está integrada num projeto de desenvolvimento da meloa e visa estimular a sua produção, com o objetivo de atingir as 400 toneladas anuais.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.