Vicente Moura espera Jogos difíceis, mas acredita em medalhas para Portugal

Vicente Moura espera Jogos difíceis, mas acredita em medalhas para Portugal

 

Lusa/AO Online   Outras modalidades   22 de Fev de 2016, 17:33

Vicente Moura, antigo presidente do Comité Olímpico Portugal (COP), assumiu hoje que os jogos no Rio em 2016 "vão ser difíceis", mas salientou que tudo está em aberto para a conquista de medalhas, destacando a equipa de futebol.

 

À margem da apresentação do projeto Sporting Olympics, gabinete olímpico dos 'leões', que tem como principal objetivo dar apoio na preparação para os Jogos do Rio de Janeiro e de Tóquio, o atual vice-presidente dos 'leões' para as modalidades deixou a ideia de que não será fácil Portugal conquistar medalhas.

"Acho que os Jogos Olímpicos para Portugal vão ser difíceis, temos muito bons atletas, mas Portugal nos últimos anos, mesmo no meu ciclo olímpico, não tem progredido da forma que eu gostaria. Vemos por exemplo que a vela em 2012 tinha 10 atletas qualificados e agora tem quatro, o atletismo também tem regredido, o judo tem resultados, mas não são os esperados depois de ter uma Telma Monteiro ou um João Pina, mas outras (modalidades) correm bem, ténis de mesa é fantástico, mas ganhar uma medalha é um sonho, mas possível", afirmou.

Contudo, Vicente Moura salientou "que tudo está em aberto", assumindo que estes seis meses serão preponderantes para a prestação dos atletas.

"Tudo está em aberto, estes são seis meses fundamentais, e em julho é que podemos fazer alguma perspetiva, mas no Rio de Janeiro vai ser difícil, porque em Londres os olhos dos portuguesas eram apenas da população portuguesa, mas no Rio são 213 milhões de brasileiros com os olhos nos portugueses, vai ser difícil, mas aposto que Portugal não sairá do Brasil de mãos a abanar", sublinhou.

Dentro das possíveis medalhas, Vicente Moura considerou a equipa de futebol uma forte hipótese, elogiando a postura da Federação Portuguesa de Futebol.

"É uma equipa excecional como se provou nos últimos torneios europeus. Desde que me lembro, e eu estive no Comité desde 1981, vi pela primeira vez uma federação interessada, outras nunca estiveram dispostas a prejudicar a sua programação e a dos clubes. Esta não e aproveito para saudar o Fernando Gomes. O futebol é importante, um grande elemento de divulgação e penso que quase garantidamente vamos ter uma medalha", reiterou.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.