Viagem Literária pode ter segunda edição porque há mais cidades a pedir

Viagem Literária pode ter segunda edição porque há mais cidades a pedir

 

Lusa/AO online   Cultura e Social   18 de Fev de 2016, 11:28

O coordenador do projeto Viagem Literária, iniciativa que cumpre no sábado, em Ponta Delgada, mais uma etapa com o cantor Sérgio Godinho e o escritor Valter Hugo Mãe, admite uma segunda edição, devido às muitas solicitações.

 

"Não é impossível que nós venhamos a fazer uma segunda edição da Viagem Literária, até porque muitas cidades nos têm pedido para participar, cidades que não estiveram envolvidas nesta primeira viagem", afirmou hoje à agência Lusa Rui Couceiro, destacando que o projeto da Porto Editora visa democratizar, descentralizar o acesso à cultura, e incentivar a população a ler mais.

A Viagem Literária está na estrada desde abril de 2015, tendo já cumprido metade do seu itinerário, com nove etapas em Portugal continental e outra na Madeira.

"Nós investimos milhares de euros nesta iniciativa (...). Estamos aqui a prestar um serviço de responsabilidade cultural e contribuir para incentivar as pessoas a lerem mais. Os índices de leitura em Portugal merecem que façamos um esforço neste sentido", sustentou Rui Couceiro.

A conversa entre Sérgio Godinho e Valter Hugo Mãe, naquela que será a última paragem da Viagem Literária nas regiões autónomas, depois do Funchal, na Madeira, é moderada pelo jornalista João Paulo Sacadura, e está prevista para as 21:30, no Coliseu Micaelense.

Segundo a Porto Editora, Sérgio Godinho, com "uma carreira de cantautor com mais de 40 anos", vai partilhar com o público a sua faceta de escritor, com quatro livros publicados.

"Cantor, compositor, escritor (para adultos e crianças), ator (de teatro e cinema), realizador, Sérgio Godinho é, para citar uma das suas canções clássicas, o verdadeiro 'homem dos sete instrumentos'", refere a editora.

No mesmo palco, vai estar Valter Hugo Mãe, "um dos mais destacados escritores portugueses da atualidade", com obras traduzidas em várias línguas, tendo já publicado seis romances: "A desumanização", "O filho de mil homens", "A máquina de fazer espanhóis", com o qual ganhou o Grande Prémio de Literatura Portugal Telecom -- Melhor Livro do Ano e Prémio Portugal Telecom Melhor Romance do Ano, "O apocalipse dos trabalhadores", "O remorso de Baltazar Serapião", Prémio Literário José Saramago, e "O nosso reino".

Recentemente editou "Contos de cães e maus lobos" e foi finalista do Prémio Oceanos, no Brasil, que sucedeu ao antigo Prémio Portugal Telecom.

Depois de Ponta Delgada, a iniciativa, cuja missão é levar escritores ao encontro dos seus leitores fora dos grandes centros, vai continuar a percorrer as capitais de distrito até à etapa final, em Viana do Castelo, em setembro, referiu o coordenador do projeto.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.